Vote Em Nós

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Vem gente boa por ai, Creuza sai do PT e vai para o PSB



A presidenta estadual do PSB, senadora Lídice da Mata, assinou na tarde desta segunda-feira, 30/09/2013em Salvador a ficha de filiação de Creuza Maria Oliveira, presidente da Federação Nacional dos trabalhadores Domésticos. Junto com ela, filiaram-se ao PSB o secretário geral da Fenatrad Francisco Xavier de Santana, e a presidente do Sindomestico Bahia, Cleuza Maria de Jesus.





Fonte: Assessoria de Comunicação da Senadora Lídice da Mata

Conceição do Almeida sedia II Fórum de Comunicação do Recôncavo e Workshop do SUS




Profissionais de diversos veículos de comunicação do Recôncavo baiano participarão no dia 05 de outubro, a partir das 8h30, na Câmara Municipal de Conceição do Almeida, do Workshop SUS para Comunicadores e do II Fórum de Comunicação do Recôncavo Baiano. Na agenda, debates e palestras sobre os principais temas da comunicação na sociedade da era da informação, mídia e saúde pública. Os eventos são uma realização conjunta das secretarias da Saúde(Sesab) e de Comunicação do Estado(Secom), Sindicato dos Radialistas e Publicitários do Estado da Bahia(Sinterp-Ba), Sindicato dos Jornalistas do Estado da Bahia(Sinjorba) e Associação Bahiana de Imprensa(ABI). As inscrições são gratuitas.

II Fórum de Comunicação
Promovido pelo Sinterp-Ba e Sultana FM, o II Fórum de Comunicação do Recôncavo Baiano abordará os temas “Comunicação, internet e redes sociais” e "O rádio na era digital" e "Jornalismo e convergência tecnológica". As discussões serão conduzidas pelo coordenador de Rádio da Secom, Edmundo Filho, com palestras do diretor da Associação Baiana de Imprensa e presidente da Associação Baiana de Jornalismo Digital(ABJD), Ricardo Luzbel, do coordenador de Novas Mídias da Secom-Ba, Leonardo Villanova, do Jornalista e coordenador do curso de Jornalismo da Unirb, Celso Duran, e do radialista e diretor da Rede Baiana de Rádio(RBR), Dílson Barbosa.

O Fórum tem como objetivo capacitar os profissionais da região para os novos desafios na área da comunicação, bem como aperfeiçoar a abordagem de temas de interesse público e apresentar as experiências vencedoras no ambiente da internet e do jornalismo na Bahia. Uma oportunidade de troca de conhecimento e aprendizado para quem atua na comunicação no estado e busca atualização profissional.

Workshop
Para mais esta etapa do workshop realizada no interior do estado foram convidados comunicadores dos principais veículos da região do Recôncavo. O workshop já foi realizado em Salvador, Feira de Santana, Santo Antônio de Jesus, Jequié, Juazeiro. Capim Grosso e outras cidades. A intenção é qualificar ainda mais a produção da notícia com maior precisão para a população, orientando melhor a mídia sobre a participação na construção do SUS, acesso e oferta de serviços existentes.

Serão abordados temas como o financiamento do SUS, responsabilidades dos governos, organização e estruturação dos sistemas de saúde, atuação do controle social, sistemática da assistência, legislação que regulamenta o SUS e pactuação entre os municípios para oferta de serviços.
Os participantes do evento serão certificados pela Universidade Aberta do SUS e Escola de Saúde Pública do Estado da Bahia, além de um guia com as principais informações e fontes para produção de matérias sobre o tema.

Programação

8h30 - Abertura

9h       Ricardo Luzbel e Celso Duran
            Jornalismo e Convergência Tecnológica
           
10h20            Coffe Break

10h30            Ricardo Bial
            Workshop SUS para comunicadores

12h Almoço

14h     Dílson Barbosa
            O Rádio na Era Digital

15h Intervalo

15h20 Leonardo Villanova
            Comunicação, Internet e Redes Sociais

16h30            Encerramento e Entrega de Certificados


Fonte: ASCOM Governo do Estado da Bahia

Jornalista do Guardian diz que Brasil deve ter uma internet própria


O jornalista do britânico The Guardian, Gleen Greenwald, afirmou que o Brasil e a Argentina deveriam ter uma internet própria para evitar a espionagem dos Estados Unidos, em uma entrevista publicada neste domingo no jornal argentino Página 12.
"Há uma consciência real de que a Argentina e o Brasil estão construindo uma internet própria, assim como a União Europeia, algo que até agora só fez a China", afirmou Greenwald em entrevista concedida no Brasil, onde mora há vários anos.
O jornalista americano que divilgou no Guardian informações sobre a espionagem de Washington repassadas por Edward Snowden, ex-consultor da Agência de Segurança Nacional (NSA), atualmente refugiado na Rússia.
"Creio que a solução seria criar um lobby entre os países, que os países se unam para ver como construir novas pontes para a internet que não permitam que um país domine completamente as comunicações", insistiu.
Para ele, o objetivo da Casa Branca é controlar a informação para aumentar seu poder no mundo.
Depois dos atentados das Torres Gêmeas em Nova York, os americanos querem "utilizar o terrorismo mundial para que as pessoas tenham medo e possam agir com as mãos livres", afirmou. "É uma boa desculpa para torturar, sequestrar e prender", disse ainda.
Greenwald defendeu o vazamento de informação feito por Snowden e anteriormente pelo Bradley Manning (atual Chelsea Manning), recentemente condenado a 35 anos de prisão por ter entregue documentos a Julian Assange, fundador do site WikiLeaks.
Para o jornalista, Assange (refugiado desde junho de 2012 na embaixada do Equador em Londres) "é um herói pelo trabalho que fez no WikiLeaks porque foi ele que plantou a ideia de que, na era digital, era muito difícil para os governos proteger seus segredos sem destruir outra privacidade".

sábado, 28 de setembro de 2013

Vai fazer o ENEM e está precisando de dicas de como elaborar uma boa redação ?

Vasculhando o Youtube em busca de algumas dicas de como me dar bem no Exame Nacional de Ensino Médio encontrei esse vídeo que por sinal é muito bom, o jovem Pedro Neto não deixou a desejar na Vídeo Aula e deu um Show de informações e dicas para você que está na expectativa de tirar nota máxima na redação do ENEM.

Boa Sorte a todos que irão fazer o Exame.


Confira no Vídeo Abaixo:



(Texto: Nathan Santo'Os)

LIBERDADE, LIBERDADE - SOLIDARIEDADE AO JORNALISTA EMILIANO JOSÉ

Por Penildon Silva Filho

  Lyz Gomes Omni, Mariza Melo eEmiliano José ne Audiencia Pública da 
   Comissão da Verdade na ALBA. Salvador foto Instituto Zé Olivio.

O jornalista e escritor Emiliano José teve a coragem de denunciar através da imprensa – artigo n’A Tarde de 11/02, o pastor Átila Brandão como torturador à época da Ditadura Militar, tendo como testemunhas Dona Maria Helena Afonso de Carvalho e seu filho, o historiador e professor Renato Afonso de Carvalho. Ela era uma espécie de genitora de muitos presos políticos que afetuosamente a conheciam como Dona Yaiá. Evangélicos progressistas solidarizaram-se com Emiliano reafirmando o carreirismo e reacionarismo deste pastor que desde os tempos em que estudava na faculdade de direito na UFBA, contemporâneo de Renato Afonso, perseguia estudantes a serviço dos órgãos de informação. Incomodado com sua exposição pública, Átila Brandão encaminhou queixa-crime por calúnia visando processar e intimidar Emiliano. Com forte dose de apelo moralista - própria de religiosos fundamentalistas -, Átila Brandão é pessoa conhecida no mundo evangélico, além de ostentar funções de representação diplomática, como se tal título fosse passaporte à impunidade.

Neste ínterim, Emiliano voltou à carga e, criterioso com suas fontes, fez longa entrevista com Renato Afonso que resultou no artigo Corpo amputado querendo se recompor, já postado no site da Revista Carta Capital, onde não só confirma o fato da tortura no Quartel de Dendezeiros, como narra outros episódios de perseguição e sofrimento vivenciados em masmorras no Rio de Janeiro, nos anos 70, auge da ditadura militar. Por pouco Renato Afonso não teve o destino de tantos combatentes que sofreram sevícias até a morte, algumas indizíveis como as relatadas pelo cruel delegado Cláudio Guerra, através do livro Memórias de Uma Guerra Suja e em recente edição da mesma Carta Capital.

Jornalista, escritor e suplente de deputado federal pelo PT, Emiliano José, amargou 4 anos de prisão e sofreu na própria pele a violência das torturas tantas vezes relatadas por ele mesmo sobre outras pessoas em dezenas de artigos e livros que prolificamente vêm produzindo. O marco desta missão que se impôs foi 'Lamarca, o capitão da guerrilha', junto com o ex-preso e jornalista Oldack Miranda, lançado ainda em 1989, numa época de muitas incertezas sobre o futuro de nossa titubeante democracia.

O compromisso e a coragem de Emiliano com a Memória e a Verdade marca sua trajetória de vida desde os tempos de sua militância estudantil, quando foi líder nacional pela UBES - União Brasileira de Estudantes Secundaristas, passando pela cidadania ativa que exerceu ainda na cadeia e, em seguida como dedicado professor e parlamentar atuante. Este episódio, como tantos outros relatados por Emiliano ganha especial ressonância ao inserir-se entre as iniciativas que a Comissão Nacional da Verdade e o Comitê Baiano Pela Verdade estão tomando para identificar pessoas e instituições que se prestaram a ilegalidades e violações, feriram a dignidade humana, ceifaram vidas ou deixaram marcas no corpo e na alma de milhares de brasileiros e baianos inconformados com o fim da democracia e das liberdades.  Dar publicidade e expor o pastor e ex-militar Átila Brandão à vergonha de seus familiares, amigos e funcionários por um passado tão repelente é o mínimo que podemos fazer testemunhando em solidariedade ao cidadão Emiliano José.

Salvador, 07 de maio de 2013

  1. Alexandre David Moreira Assis - professor de História
  2. Alipio Freire - jornalista e escritor - São Paulo-SP
  3. Amélia Tereza Maraux – superintendente da Secretaria da Educação da Bahia
  4. Amílcar Baiardi – professor da Pós-Graduação da UCSAL e Titular da UFRB/UFBA
  5. Ana Alice Alcantara Costa – professora do Departamento de Ciência Política/UFBa
  6. Ana de Miranda Batista – farmacêutica bioquímica – aposentada, integra o Coletivo RJ Memória, Verdade e Justiça
  7. Ana Guedes – assistente social, da Comissão de Anistia e do Grupo Tortura Nunca Mais
  8. Ana Lagôa - jornalista - Teresópolis - Rio de Janeiro
  9. Ana Marlucia Oliveira Assis – professora da UFBA
  10. Andrea Tourinho - DPE-BAHIA
  11. Antônia Sampaio - professora da rede pública da BA e Oposição Cutista da APLB - Sindicato
  12. Antonio Edgard dos Santos Neto – educador e dirigente do setorial de Educação do PT Bahia
  13. Antonio Fernando Bueno Marcello - jornalista - Brasília (DF)
  14. Antonio Virgílio Bittencourt Bastos - Instituto de Psicologia /UFBA - professor titular.
  15. Augusto de Paula – advogado
  16. Beatriz do Valle Bargieri – advogada - Osasco/SP
  17. Beatriz Regina Alvares - médica e professora da Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP, Campinas
  18. Benjamim Ferreira - sindicalista
  19. Bianca Daébs Seixas Almeida - professora, filósofa e teóloga
  20. Bruno Luiz Teles de Almeida – reverendo anglicano, teólogo, sociólogo e pedagogo
  21. Caio Botelho – Executiva Estadual da União da Juventude Socialista – UJS
  22. Carlos Alberto Ramos Ansarah - engenheiro agrônomo - Santarém-PA
  23. Carlos Augusto Marighella Filho – advogado, petroleiro
  24. Carlos de Campos - pesquisador e produtor cultural - Rio de Janeiro/RJ
  25. Carlos Eduardo Lemos Chaves – advogado da AATR – As. de Advogados de Trabalhadores Rurais
  26. Carlos Pedrosa Junior - professor Titular da UFPB
  27. Carolina Zanetti – arquiteta, urbanista e coordenadora de projetos
  28. Cecilia M. B. Sardenberg – professora e membra do Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a Mulher – NEIM
  29. Cecília Vásquez Soto – jornalista
  30. Celi Taffarel - professora da UFBA
  31. Chico Estevão – MNU, Litoral Sul
  32. Cláudia Miranda – presidente da APUB
  33. Cláudia Moura – advogada, procuradora do Estado da Bahia
  34. Cláudio Lira - professor da UFBA
  35. Cleusa Ione Borges Zanetti – médica, diretora médica da APAE
  36. Cristina Alvares Beskow, jornalista e doutoranda da ECA-USP.
  37. Dainis Karepovs, historiador - São Paulo-SP
  38. Damien Hazard – economista, coordenador da Vida Brasil e membro da Executiva da ABONG
  39. Daria Maria Vilela Tavares – médica
  40. Débora Rodrigues – historiadora, coordenadora de projetos de economia solidária da Vida Brasil
  41. Débora Santana Figueiredo – advogada
  42. Denelisio Nobre, gestor do Colégio Modelo de Itabuna, presidente do Fórum de Gestores da DIREC 07 e vice-presidente do CREF BA/SE.
  43. Denílson Ferreira de Vasconcelos – jornalista
  44. Denise Coutinho - professora do Instituto de Psicologia - UFBA
  45. Dimas Galvão – filósofo e coordenador de Projetos e Formação da CESE
  46. Dinalva Celia Santos Andrade - Rede Mulheres Em Itabuna , professora da Rede Estadual de Ensino.
  47. Diva Santana – vice-presidente do Grupo Tortura Nunca Mais e membro da Comissão da Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos
  48. Djalma Torres Santana – pastor da Igreja Batista Antioquia
  49. Edelson Aurélio de Assis – jornalista - Universidade Federal da Bahia
  50. Edenice Santana - professora da rede pública da BA e Oposição Cutista da APLB-Sindicato
  51. Edielson Moreira - Conselho Nacional da Juventude Revolução
  52. Edson Valadares - sociólogo e consultor
  53. Eduardo José Santiago da Silva (Dida) – bacharel em Direito, servidor público
  54. Elenize Cristina Oliveira da Silva – professora UFRR
  55. Eliana Pedreira – enfermeira
  56. Eliana Rolemberg – socióloga, assessora da Diretoria da CESE – Coordenadoria Ecumênica de Serviço
  57. Eliana Souza Santos - estudante de cinema e áudio visual da UESB e do movimento de lésbicas Safo
  58. Elio Cabral de Souza - Auditor Fiscal aposentado - Goiânia (GO)
  59. Elizabeth de Souza Lorenzotti - jornalista e escritora - Poços de Caldas (MG)
  60. Eulália Lima Azevedo - professora/pesquisadora NEIM/UFBA/UNIFACS
  61. Fábio Carvalho da Hora - gestor educacional
  62. Felipe José Lindoso, antropólogo e ex-preso político - São Paulo – SP
  63. Fernanda Estima - jornalista, São Paulo, SP
  64. Fernanda Matos – jornalista
  65. Fernando Arthur de Freitas Neves – professor UFPA
  66. Fernando Passos – arquiteto e publicitário
  67. Fernando Ximenes – educador
  68. Flávio José Barbosa – pedagogo - Bahia
  69. Flávio Lúcio Rodrigues Vieira – professor UFPB
  70. Francivaldo Alves Nunes – professor universitário
  71. Frederico Fernandes – economista
  72. Genaro Vilanova Miranda de Oliveira, historiador, Fiji National University (FNU)
  73. GILKA SILVA PIMENTEL – professora universitária – UFRN
  74. Gilson Rodrigues - assessor administrativo da ADAB - Feira de Santana
  75. Gilton do Carmo Silva – professor de Geografia
  76. Haroldo Borges Rodrigues Lima – engenheiro, dirigente do PC do B
  77. Helder Barbosa, economista e editor do site www.aldeianago.com.br
  78. Hélder Conceição – diretor da União Nacional de Estudantes – UNE
  79. Helder Machado Passos – professor universitário do Maranhão
  80. Hugo Lenzi, sociólogo e fotógrafo - São Paulo
  81. Inaiá Maria Moreira de Carvalho – professora da UFBA
  82. Iole Ilíada, vice-presidenta da Fundação Perseu Abramo - São Paulo
  83. Isadora Browne Ribeiro – professora de história e da equipe da AATR
  84. Ivan Alves Braga – economista, membro da coordenação do CBV – Comitê Baiano pela Verdade
  85. Jalusa Silva de Arruda, professora e advogada, membro da RENAP
  86. Jalusa Silva de Arruda, professora e advogada, membro da RENAP
  87. Jerônimo Rodrigues (professor UEFS/DCIS) e atualmente assessor especial do ministro/MDA)
  88. João Carlos Salles – professor da FFCH-UFBA
  89. João José Reis - historiador, professor Titular da UFBA)
  90. João Rocha Sobrinho – professora da UEFS
  91. João Santos – professor de história
  92. Joaquim Lisboa Neto - Casa da Cultura Antonio Lisboa de Morais
  93. Joel Silveira Leite, jornalista - São Paulo
  94. José Antonio Fontes - arte-educador
  95. José Carlos Barreto Sodré – educador e gestor educacional
  96. José Carlos Zanetti – economista, assessor de Projetos e Formação da CESE, do Comitê Baiano Pela Verdade
  97. José Maria de Abreu Dutra – Superintendente da Secretaria da Educação do Estado da Bahia
  98. José Murilo Philigret Baptista – professor da Faculdade de Economia da UFBA
  99. Joviniano Carvalho Neto – sociólogo, professor de Ciência Política e presidente do Grupo Tortura Nunca Mais
  100. Karliane Macedo Nunes – jornalista e professora da UFAM
  101. Kazu - engenheiro agrônomo-CEPLAC
  102.  Larissa da Silva Paes Cardoso – engenheira civil
  103. Ligia Maria Vieira da Silva - professora associada do Instituto de Saúde Coletiva da UFBa (aposentada)
  104. Lourival Lopes - Executiva Estadual do PT BA e Direção Nacional da CUT
  105. Luciano Barreto de Matos - jornalista
  106. Ludmila Cerqueira Correia - advogada, professora da Universidade Federal da Paraíba, Coordenadora do Centro de Referência em Direitos Humanos da UFPB, associada da AATR
  107. Luiz Fernando Fefeu Santos Bandeira, servidor da UFBA
  108. Luiz José Bueno de Aguiar - advogado em São Paulo, capital
  109. Magda Rego – socióloga
  110. Maíra Gentil - direção da Associação Nacional dos Pós-Graduandos
  111. Manoel Cyrillo de Oliveira Netto – publicitário - Campinas/SP
  112. Manoela Freire de Oliveira, antropóloga lotada no INEMA
  113. Mara Vanessa Fonseca Dutra – comunicadora
  114. Márcia Costa Misi – advogada e professora da UEFS
  115. Marcial Sávio Costa Conceição – educador e gestor educacional
  116. Márcio Amêndola de Oliveira - jornalista e historiador e Instituto Zequinha Barreto - Osasco, SP
  117. MARIA ALICE BITTENCOURT – jornalista e gestora pública
  118. Maria Angela Fernandes Ferreira – UFRNET
  119. Maria Aparecida Baccega - profa. da USP e da ESPM-SP
  120. Maria Carolina Bissoto – advogada - Brasília
  121. Maria Carolina Bissoto – advogada - Brasília
  122. Maria das Dores Loiola Bruni - educadora popular
  123. Maria Helena Souza da Silva – professora de história e feminista
  124. Maria Olívia Soares – jornalista
  125. Mariana Capachi Nogueira Soares – estudante de Arquitetura da UFBA
  126. Marianna Dias – presidenta da União dos Estudantes da Baha – UEB
  127. Marta Rodrigues - presidenta PT Salvador
  128. Mauricio Brasil - membro da Associação Juízes para a Democracia
  129. Maurício Vieira Dantas – físico, professor do IFBA
  130. Melissa Lourenço Machado – historiadora - São Paulo/SP
  131. Micau Barreto – historiador
  132. Michel Chebel Labaki, engenheiro - São Paulo
  133. Miralva Moitinho Sousa. Pedagoga - presidente da Cooperativa Educacional de Itabuna  - Colégio Jorge Amado; presidente do Diretório Municipal do PT de Itabuna
  134. Nanami Sato, professora - São Paulo, SP
  135. Nicolau Rickmann Neto - UFPA.
  136. Nilton Correia dos Anjos - Comitê Baiano pela Verdade e Presidente da 13ª Zonal do PT,
  137. Nina Rosa Germano - pedagoga
  138. Norma Gonzaga de Matos – educadora baiana
  139. Odilon Nogueira - professor de História
  140. Oldacko Miranda – Jornalista na Bahia
  141. Olival Freire Junior - professor da UFBa
  142. Olívia Faria Braga – advogada
  143. Ordep José Trindade Serra – antropólogo e professor da UFBA
  144. Paulo de Albuquerque Sá Brito – engenheiro
  145. Paulo Henrique de Almeida - professor UFBA
  146. Paulo Miguez – economista, Instituto de Humanidades, Artes e Ciências – UFBA
  147. Paulo Riela - Diretório Municipal do PT Salvador
  148. Paulo Roberto Beskow - professor universitário aposentado – UFSCar
  149. Paulo Roberto Soares de Assis – educador baiano
  150. Paulo Rosa Torres – advogado e professor de Direito da UEFS
  151. Pedro Teixeira Diamantino – advogado, membro da AATR - Associação de Advogados de Trabalhadores Rurais no Estado da Bahia, professor de Direito UNEB e UEFS.
  152. Penildon Silva Filho – professor da UFBA
  153. Pery Thadeu Oliveira Falcón – engenheiro químico e assessor parlamentar
  154. Petilda Serva Vazquez – professora da UFBA
  155. Raimundo Santana - presidente do Sindicato da Saúde (SINTESI)
  156. Regina Célia Bega dos Santos - Professora Universitária, Vargem Grande Paulista – SP
  157. Regina Maria Nunes Martinelli Serra – arquiteta, militante do Movimento Vozes de Salvador
  158. Renato Santos – professor de história e ex-dirigente do SINPRO
  159. Renato Simões - Secretário Nacional de Movimentos Populares do PT, Presidente do Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Campinas
  160. Rita Maskell Rapold professora adjunta DCH I - UNEB Doutora em Psicologia da Educação pela PUC-SP
  161.  Rogério Ferrari – fotógrafo
  162. Rosana Maria Morais Fernandes – historiadora e assessora de Projetos e Formação da CESE
  163. Rosilene dos Santos Santana - tecnóloga em segurança no trabalho
  164. Rudimar Oliveira Mota – dirigente sindical e do PT
  165. Rui Patterson, advogado e escritor
  166. Salvador Costa da Silva – Professor – Dirigente Municipal de Educação e Dirigente do PT de Jaborandi –BA
  167. Sandra da Silva Paes Cardoso – bióloga e consultora do Projeto Corredores Ecológicos, Bahia
  168. Sérgio Armando Diniz Guerra FIlho, professor UFRB
  169. Sérgio Brachmans – educador e gestor educacional
  170. Sérgio Hage Fialho – administrador e pesquisador no Grupo de Pesquisa em Educação, Aprendizagem Organizacional e Inovação
  171. Sílvia Lúcia Ferreira – professora de Enfermagem da UFBA
  172. Silza Fraga Costa Tütken – socióloga - Salvador-Bahia
  173. Socorro Coelho – professora universitária
  174. Sonia Mota – pastora da IPU – Igreja Presbiteriana Unida e Secretaria Executiva da CESE
  175. Susana Olmos – Arquiteta
  176. Sylvia Maria dos Reis Maia - professora UFBA
  177. Tânia Gerbi Veiga - produtora cultural - São Paulo (SP)
  178. Tania Maria Coutinho – teóloga, técnica na Coordenação de Promoção da Equidade em Saúde/SESAB e membro do Grupo Tortura Nunca Mais
  179. Tânia Miranda – professora
  180. Tatiana Mendes Senna – professora das redes estadual da Bahia e municipal de Salvador
  181. Theodomiro Romeiro dos Santos – Juiz do Trabalho
  182. Urias de Oliveira Macedo - microempresário - São Paulo (SP)
  183. Valdísio Luiz Caldas Fernandes – fundador e coordenador do Instituto Búzios
  184. Vera Lazzarotto – liderança popular em Salvador
  185. Vera Vital Brasil - IFP, Rio de Janeiro
  186. Vitor Sarno - economista e analista ambiental - IBAMA
  187. Viviane Hermida – psicóloga e assessora de Projetos e Formação da CESE
  188. Vladimir Sacchetta – RG 4.382.822-X / SSP-SP – jornalista e pesquisador – São Paulo
  189. Waldemar Santos Filho – historiador e coord. técnico do programa Saúde da População Negra – SESAB
  190. Waldemir Bargieri - Osasco – SP
  191. Washington Carlos Ferreira Oliveira – professor da Fundação Visconde de Cairu
  192. Wesley Francisco – historiador
  193. Wesley Machado – presidente da Associação Baiana Estudantil Secundarista – ABES

Bar LGBT aposta em novas ideias para revitalizar o Centro



Alguns ainda não desistiram. Não desistiram do Centro da cidade, da alegria, da criatividade. Mas há os que lamentam o estado das coisas em Salvador e ficam em casa ou enfronham-se num cardápio cultural repetitivo apresentado como se fosse novidade.

O francês Jean-Claude Chiroutte e o baiano Thiago Silva são dos que não desistiram. Abriram há oito meses o Cabaret 54, na avenida Carlos Gomes. Um cabaré, entenda-se, como espaço para diversão e arte. E uma homenagem a espaços antológicos como as boates Palais, em Paris, e o Studio 54, que fez história em Nova York.

"Na cultura francesa, cantores, transformistas, humoristas e clowns têm vez nos cabarés", diz Jean-Claude, enfatizando ter desejado a pluralidade de expressões artísticas para a casa desde o começo.

Divas
As noites de quinta-feira contam com o grupo Diva Box, que faz música ao vivo e estreou por lá. Formado pelos atores e cantores Fernando Ishiruji (teclado e voz), Ricardo Albuquerque (voz) e Paulo Lopes (violão e voz), eles cantam versões inspiradas de músicas de Christina Aguilera, Cher, Britney Spears, Rihanna e Cindy Lauper, entre outras, com performances impagáveis.

"Dei sorte de encontrar os dois que toparam a ideia e gostam tanto de música pop como eu", diz Fernando, que atuou no espetáculo Amor Barato (18ª montagem do Núcleo TCA).

Para ele, Diva Box é um show exatamente como queria fazer desde a adolescência. A originalidade está no formato, inexistente no meio. "O Cabaret 54 veio a calhar na noite GLS não só por oferecer um lugar bacana, mas por abraçar ideias diferentes e procurar fugir do óbvio está cavando seu espaço na noite LGBT", diz o ator.

Nas noites de quarta-feira, o poeta e diretor teatral João Figuer transforma-se num entertainer e faz uma espécie de revista cultural, o Quarta Boa, em que convida artistas de diversas linguagens para mostrar o que estão fazendo. E revela novos talentos.

Diretor do espetáculo Sou Transformista, sucesso de 2010 que percorreu vários teatros e cidades do Recôncavo, é comum que alguns integrantes da montagem passem por lá para uma canja.

Mas poesia e música também fazem parte das apresentações, em que diversão é palavra de ordem. "As pessoas estão esquecendo que teatro é entretenimento e estão mais interessadas em ganhar prêmio do que fazer coisas interessantes", afirma Figuer. "Quero que a noite gay da Carlos Gomes volte a ter vida. Estamos tentando".

O Cabaret 54 também tem espaço cativo, embora sem data programada, para o ator Jean Carlos com sua extraordinária personagem Mitta Lux que, além de conduzir as atrações da noite, faz dublagens de música nacionais.

Mitta surgiu do espetáculo As Moças do Sabonete, que Jean criou e dirigiu em Brasília, em 2007. Era para ficar uma semana em cartaz e durou seis meses.

Em 2009, depois de passar um carnaval em Salvador, decidiu ficar. E a cidade retribuiu, tanto que já ganhou vários concursos como, recentemente, o Miss Universe Gay.

Dos muitos locais em que se apresenta, avalia: "O Cabaret 54 é um ambiente mais pessoal e o público vai lá para assistir aos shows, diferentemente de boates em que há outros atrativos. É possível mostrar um show mais intimista".

Dois de Julho

A proximidade do Cabaret 54 com o Largo Dois de Julho, para Jean-Claude, é um trunfo. Desde que ele e Thiago chegaram aqui, em junho do ano passado, ficou encantado com o lugar onde moram.

"O Dois de Julho é maravilhoso, quero que esse lugar viva e viva em tranquilidade. Tem artistas e todos os tipos da sociedade. Não podemos deixar este bairro morrer, é a alma de Salvador", diz ele.

No que depender de Jean-Claude e Thiago, dos artistas que se apresentam por lá e do diverso público do Cabaret, isso nunca vai acontecer.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...