Vote Em Nós

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Livros de ensino religioso em escolas públicas estimulam homofobia e intolerância, diz pesquisa


Uma pesquisa da UnB (Universidade de Brasília) concluiu que o preconceito e a intolerância religiosa fazem parte da lição de casa de milhares de crianças e jovens do ensino fundamental brasileiro. Produzido com base na análise dos 25 livros de ensino religioso mais usados pelas escolas públicas do país, o estudo foi apresentado no livro “Laicidade: O Ensino Religioso no Brasil”, lançado na última terça-feira (22) em Brasília.

“O estímulo à homofobia e a imposição de uma espécie de ‘catecismo cristão’ em sala de aula são uma constante nas publicações”, afirma a antropóloga e professora do departamento de serviço social, Débora Diniz, uma das autoras do trabalho.

A pesquisa analisou os títulos de algumas das maiores editoras do país. A imagem de Jesus Cristo aparece 80 vezes mais do que a de uma liderança indígena no campo religioso -limitada a uma referência anônima e sem biografia-, 12 vezes mais que o líder budista Dalai Lama e ainda conta com um espaço 20 vezes maior que Lutero, referência intelectual para o Protestantismo. Ítalo Calvino nem mesmo é citado.

O estudo aponta que a discriminação também faz parte da tarefa. Principalmente contra homossexuais. “Desvio moral”, “doença física ou psicológica”, “conflitos profundos” e “o homossexualismo não se revela natural” são algumas das expressões usadas para se referir aos homens e mulheres que se relacionam com pessoas do mesmo sexo. Um exercício com a bandeira das cores do arco-íris acaba com a seguinte questão: “Se isso (o homossexualismo) se tornasse regra, como a humanidade iria se perpetuar?”.

Nazismo
A pesquisadora afirma que o estímulo ao preconceito chega ao ponto de associar uma pessoa sem religião ao nazismo – ideologia alemã que tinha como preceitos o racismo e o anti-semitismo, na primeira metade do século 20. “É sugerida uma associação de que um ateu tenderia a ter comportamentos violentos e ameaçadores”, observa Débora. “Os livros usam de generalizações para levar a desinformação e pregar o cristianismo” , completa a especialista, uma das três autoras da pesquisa.

Os números contrastam com a previsão da Lei de Diretrizes e Base da Educação de garantir a justiça religiosa e a liberdade de crença. A lei 9475, em vigor desde 1997, regulamenta o ensino de religião nas escolas brasileiras. “Há uma clara confusão entre o ensino religioso e a educação cristã”, afirma Débora. A antropóloga reforça a imposição do catecismo. “Cristãos tiveram 609 citações nos livros, enquanto religiões afro-brasileiras, tratadas como ‘tradições’, aparecem em apenas 30 momentos”, comenta a especialista.
*com informações da Agência UnB

Da Redação*
Em São Paulo

Fonte: André Araujo pelo email da lista de discussão do FOBONG: Fórum Baiano de ONG e Aids lista nacional.

CONCURSO DA PREFEITURA DE CRUZ DAS ALMAS BAHIA ETAPA 2

Coordenação do Concurso promove reunião com fiscais


A coordenação do Concurso Público da Prefeitura Municipal de Cruz das Almas realiza neste sábado (03/07), às 16h, no CEC (Centro Educacional Cruzalmense), reunião com os fiscais e profissionais de apoio que trabalharão durante a realização das provas que acontecem no domingo (04/07).


O encontro vai permitir que os fiscais e trabalhadores de apoio saibam todos os procedimentos para que as provas do Concurso Público aconteçam em total normalidade. O não-comparecimento implicará na substituição sumária do profissional.


O Concurso Público acontece neste domingo em dois horários: candidatos que concorrem às vagas de agente de endemias e guarda municipal realizam as provas às 08h.


Os concorrentes aos cargos de motoristas de veículos leves, motoristas de veículos pesados, operador de retroescavadeira, operador de máquina, operador de motoniveladora, professor de séries inicias, professor de espanhol, professor de educação física, terapeuta ocupacional e copeira realizam as provas às 14h.


O local exato em que cada candidato realiza as provas pode ser encontrado no site www.seletaconsultoria.com.br.


ASCOM – Prefeitura Municipal de Cruz das Almas

VISITE O SITE:

www.cruzdasalmas.ba.gov.br

Fonte: Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Cruz das Almas.Recôncavo da Bahia. Pelo email pessoal

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Candidata a Deputada Léo Krete do Brasil em Cruz das Almas no arraiá

No meio da multidão em meio a pessoas afoitas para tirar fotos com a vereadora da diversidade de Salvador lá estava Léo Krete. No Arraiá da Cultura popular. No Palco a Banda Karrank e sua gente entre uma canção e outra. Anunciava a presença da ilústre vereadora. Com sua equipe distribuindo simpatia e sorrisos, além de tirar fotos com quem demonstrasse que não tem preconceitos. Léo Krete permanecerá de 24 a 28 de julho na cidade de Cruz das Almas. Instalada nas imediações da Santa Casa de Misericordia Nossa Senhora do Bonsucesso.
Lyz. 24/06/2010
03:51

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Mais MULHERES no poder.

PNUD ressalta a importância da campanha Mais Mulheres no Poder
Quarta, 23 de Junho de 2010


A campanha “Mais Mulheres no Poder: Eu Assumo este Compromisso!” foi tema de reportagem do site do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) publicada no último dia 18/06.

O texto afirma já na introdução que “a presença feminina no Poder Legislativo brasileiro diminui conforme aumenta a hierarquia do cargo”. Para a afirmação, o PNUD cita os dados do site www.maismulheresnopoderbrasil.com.br: elas são 12,5% das vereadoras, 11,6% das deputadas estaduais, 8,7% das deputadas federais e 12,3% das senadoras.

Em termos internacionais, a subrrepresentação brasileira deixa o país atrás de nações como a Tanzânia, Lesoto e Eritreia, além de todos os sul-americanos, segundo o ranking da União Interparlamentar, que mede a presença de mulheres nos Parlamentos mundiais.

O PNUD destaca a criação do site Mais Mulheres no Poder, em 2008, para mudar esse panorama político desigual e para ajudar a promover a campanha “Mais Mulheres no Poder: Eu Assumo este Compromisso”. Ressalta que a campanha e o site são iniciativas do Fórum Nacional de Instâncias de Mulheres de Partidos Políticos e do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher e recebem apoio da Secretaria de Políticas para as Mulheres, do Fundo das Nações Unidas para o Desenvolvimento (UNIFEM) e do próprio PNUD, que encabeça o “Projeto de Promoção da Participação Igualitária, Plural e Multirracial das Mulheres nos Espaços de Decisão”.

A reportagem afirma que a campanha “aos poucos procura conscientizar a população para a importância do papel das mulheres na tomada de decisões em todas as esferas da sociedade”, não apenas do Legislativo e Executivo, mas no Judiciário, Empresas e Sociedade, disponibilizando dados, artigos, pesquisas, links, entrevistas e reportagens sobre os temas. Também lembra que, assim como aconteceu nas eleições de 2008, o site já disponibiliza a Plataforma Eleitoral 2010 pela igualdade de gênero, racial e étnica, atualizada, e que serve de subsídios a candidatas e candidatos na adoção de políticas públicas promotoras da igualdade de gênero no Brasil.

O PNUD destaca a afirmação da subsecretária de Articulação Institucional da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Sônia Malheiros Miguel, de que o site “é plural e suprapartidário, assim como os órgãos que estão por trás dele: o Conselho Nacional dos Direitos da Mulher – formado por 21 organizações feministas e de mulheres de todo o Brasil – e o Fórum Nacional de Instâncias de Mulheres de Partidos Políticos”.

Recentemente, em virtude das eleições 2010, a campanha e o site foram alvo de afirmações errôneas na imprensa, de que seriam propaganda subliminar para determinada candidata. Lembramos que o site antecede as eleições 2010 em ao menos dois anos, disponibiliza informações e dados indispensáveis para a reflexão sobre a subrrepresentação feminina no poder em todas as instâncias da sociedade e como essa desigualdade dificulta a equidade de gênero, a melhoria da qualidade de vida das mulheres brasileiras e a democracia representativa de todos os segmentos sociais, com o agravante das mulheres serem mais da metade da população, do eleitorado e quase 50% da população economicamente ativa do país.

A campanha também é um dos eixos centrais do II Plano Nacional de Políticas para as Mulheres: o capítulo 5 “Participação das Mulheres nos Espaços de Poder e Decisão”, cujo objetivo geral é “promover e fortalecer a participação igualitária, plural e multirracial das mulheres nos espaços de poder e decisão”. O II PNPM foi elaborado junto a demandas e participação de cerca de 200 mil mulheres brasileiras em Conferências municipais e estaduais em todas as Unidades da Federação.

Tal participação, segundo o II PNPM, é central devido à “necessidade e importância desta participação como ação transformadora das estruturas de poder e das instituições, e também da cultura e das mentalidades, gerando novas relações sociais”, ainda mais fundamentais “pela situação desigual e discriminatória que vivenciam as mulheres, sendo essencial para a elaboração das leis e para a implementação de políticas públicas que promovam a igualdade e a equidade”.

A campanha “Mais Mulheres no Poder: Eu Assumo este Compromisso!” atende também às recomendações do Comitê para a Eliminação de todas as Formas de Discriminação contra a Mulher (CEDAW), cujo relatório brasileiro afirma: “O Comitê incentiva o Estado-parte a tomar medidas legais e outras sustentadas para aumentar a representatividade das mulheres em cargos eletivos e nomeados e nos mais altos níveis do judiciário, e na diplomacia. Recomenda que o Estado-parte introduza medidas legais e outras apropriadas, incluindo a alteração e ou substituição de leis ineficazes e a adoção de medidas especiais temporárias (...). O Comitê recomenda que o Estado-parte realize campanhas de conscientização, tanto entre homens como mulheres, sobre a importância da participação plena e igualitária da mulher na vida política e pública e na tomada de decisão, como um componente necessário de uma sociedade democrática, e criar condições favoráveis que propiciem e estimulem essa participação”.

Confira a íntegra da matéria no site do PNUD

Legislativo federal é o que tem menor proporção de mulheres

Fonte: Site www.maismulheresnopoderbrasil.com.br


Movimento "das" Trabalhadoras Rurais Sem Terra. Ilegais?

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, afirmou hoje, numa entrevista à Rádio Educadora Jovem Pan, de Uberlândia (MG), que não vai tolerar ações ilegais do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ou de outros movimentos sociais. "Ninguém que governe um País, um Estado ou um município pode ser complacente com a ilegalidade. Invasão de terras, de centro de pesquisa, de prédios públicos é ilegalidade. E ilegalidade não é permitida", afirmou.


Dilma acrescentou que, no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, houve uma valorização muito grande da agricultura familiar, que, segundo ela, é responsável por 40% da produção agrícola do País. Dilma afirmou que o governo tem uma linha de crédito para a venda de 60 mil tratores pequenos e que 25 mil já estão nas mãos dos agricultores. A candidata ainda elogiou o agronegócio, segundo ela, "responsável por uma agricultura de alta qualidade, produtiva, que gera riqueza para o País".


A candidata afirmou que vai se aconselhar com o presidente Lula toda vez que for necessário e que ele, certamente, terá influência em seu governo, embora não acredite que queira ser ministro. Ela também anunciou um plano de combate ao tráfico e consumo de crack.
Fonte: http://noticias.br.msn.com/brasil/artigo.aspx?cp-documentid=24657995

terça-feira, 22 de junho de 2010

Silas Malafaia diz que somos iguais a necrófilos e zoofilos e vamos deixar?

O pastor Silas Malafaia comparou nesta quarta-feira a união civil entre pessoas do mesmo sexo à zoofilia e à necrofilia, durante audiência pública na Câmara dos Deputados. Inicialmente prevista para discutir o Estatuto das Famílias, que pretende reformar o direito de família no Brasil, a audiência virou palco de embate entre defensores dos direitos dos homossexuais e religiosos.

Malafaia foi o mais enfático contra a inclusão da união homoafetiva no projeto de lei, que está em análise pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Ele usou de ironia em sua argumentação, alegando que não é qualquer prática social que deve ser incluída na legislação, como a liberação das drogas e a união civil entre pessoas do mesmo sexo. "Vamos colocar na lei tudo o que se imaginar. Quem tem relação com cachorro, vamos botar na lei. Eu vou apelar aqui. É um comportamento, ué, vamos aceitar. Quem tem relação com cadáver, é um comportamento, vamos botar na lei", disse.

Direitos civis

Para o presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais, Toni Reis, não se trata de casamento, mas sim de garantir direitos civis. "Envolve essa questão da herança, de planos de saúde, de adoção. Nós queremos nem menos nem mais, queremos direitos iguais. Nós não queremos é o casamento, nesse momento não é a nossa pretensão. O que nós queremos são os direitos civis", diz Toni.

Toni Reis citou declarações das organizações das Nações Unidas (ONU) e dos Estados Americanos (OEA) para defender o direito ao reconhecimento da união civil e da adoção entre pessoas do mesmo sexo. Ele destacou que o Governo Lula também apoia a reivindicação e mencionou o programa Brasil sem Homofobia, coordenado pela Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República. "O Brasil é um Estado laico e queremos o que a Constituição preconiza, direitos civis", argumentou.


Fonte: do jornal Folha de S.Paulo / Terra



I Conferencia Nacional GLBT ainda era assim agora é LGBT

Crivella diz que não é nem medieval nem contra gays?

Lula diz que precisa mudar essa hipocrisia no pais: SIM AO CASAMENTO de LGBTS

Dilma diz menti sim e mentiria novamente para salvar vidas

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Justiça sergipana reconhece união estável homoafetiva




O Juiz da 2ª Vara Privativa de Assistência Judiciária da Comarca de Nossa Senhora do Socorro, Paulo César Macêdo, reconheceu, em sentença proferida nos autos do Processo nº 200988400956, no último dia 10.05.2010, a união estável homoafetiva de M.S.M. e M.S.D. O magistrado, em sua decisão, entendeu que à luz das provas produzidas no processo, a união estável entre as requerentes restou nitidamente comprovada, não só pelo depoimento das mesmas, mas também através da versão apresentada por suas testemunhas em audiência, o que, unindo-se aos documentos presentes aos autos e ao parecer do representante do Ministério Público, tornou imperiosa a sentença de mérito reconhecendo a referida união estável.



O juiz destacou na sentença, para basear o seu entendimento, que a Constituição Federal de 1988 já no seu preâmbulo diz que no Brasil é constituído por um Estado Democrático de Direito "destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social".



Nesse mesmo sentido, o magistrado afirmou que em diversos dispositivos da CF existem normas constitucionais aplicáveis ao reconhecimento da união estável homoafetiva. "No art. 1º com fundamento na dignidade da pessoa humana. No art. 3º na construção de uma sociedade livre, justa e solidária, que promova bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação e no art. 5º que dentre outras garantias preceitua que todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza".



Ao final, o juiz ao aplicar o Art. 1.723 do Código Civil que diz que é reconhecida como entidade familiar a união estável entre o homem e a mulher, configurada na convivência pública, contínua e duradoura e estabelecida com o objetivo de constituição de família, ampliou tal interpretação. "Considerando, pois, que as relações afetivas, sejam homo ou heterossexuais, são baseadas no mesmo suporte fático, razão não há para se atribuir às mesmas tratamento jurídico diferenciado".



Para sustentar ainda mais o seu entendimento, o magistrado citou a reconhecida doutrinadora Maria Berenice Dias. "Enquanto a lei não acompanha a evolução da sociedade, a mudança de mentalidade, a evolução do conceito de moralidade, ninguém, muito menos os juízes, pode fechar os olhos a essas novas realidades. Posturas preconceituosas ou discriminatórias geram grandes injustiças. Descabe confundir questões jurídicas com questões de caráter moral ou de conteúdo meramente religioso. Essa responsabilidade de ver o novo assumiu a Justiça ao emprestar juridicidade às uniões extraconjugais. Deve, agora, mostrar igual independência e coragem quanto às uniões de pessoas do mesmo sexo. Ambas são relações afetivas, vínculos em que há comprometimento amoroso. Assim, impositivo reconhecer a existência de um gênero de união estável que comporta mais de uma espécie: união estável heteroafetiva e união estável homoafetiva".


Diretoria de Comunicação - TJSE
Contribuição de Débora Valadares pelo email pessoal

Presidente Lula abre Semana Nacional sobre Drogas


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva abre oficialmente hoje (21) a Semana Nacional sobre Drogas em cerimônia, às 17h, no auditório do Anexo I do Palácio do Planalto. O tema da edição deste ano é Juventude na Prevenção do Uso de Drogas.

O tema vem sendo amplamente discutido, assim como medidas de enfrentamento ao uso de drogas e suas consequências. A campanha ocorre anualmente, de 19 a 26 de junho, mobilizando os integrantes do Sistema Nacional de Políticas sobre Drogas (Sisnad) nos estados e municípios.

Durante o lançamento da campanha, haverá entrega de diplomas de Mérito pela Valorização da Vida a personalidades, instituições públicas e privadas, nacionais e estrangeiras, em reconhecimento à contribuição nas ações de fortalecimento da Política Nacional sobre Drogas.

Da Agência Brasil
Fonte: http://dilma13.blogspot.com/

Espadas em Cruz das Almas...rediscutida?















































































Apesar de ser a bola da vez e por mais organizados que sejam...

...As entidades lgbts continuam alijadas do processo político eleitoral. Ainda usados como “experimento” a carga pessoal e profissional de lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, travestis e transgêneros são subutilizadas, ou usada de forma escondida como criminosos. Mas lógico! Movimento LGBT TEM LIMITES! E limitações, assim decidiram “eles”.

Tomar conhecimento de que um político apóia, implementa, decreta e garante políticas de governo para LGBTs faz dos conservadores ainda mais raivosos. Numa revolta coletiva que os mesmos usam contra uma garantia que deveria ser “CONSTITUCIONAL” infligindo leis, aplicando a cultura derrotista que a maioria do nosso povo tem, eles se entrincheiram para errar em nome do poder, pelos votos dos seus eleitores que na urna não importa de quem seja, importa o voto sem a mínima preocupação na transformação dessas vidas que foi julgada e condenada pelos capitalistas. Por isso gay bom é gay rico e silencioso. Lésbica que atue, que seja coerente é rapidamente amordaçada.

Amigos do poder, "esses loucos e loucas" que estão o tempo todo sem entendimento da realidade pessoal que nos faz passar longe das políticas públicas de reparação, de garantia de cidadania e direitos humanos, além das jurídicas e civis. Um deputado ou deputada estadual ou federal não quer chegar a nenhuma cidade pelas mãos de homossexuais assumidos, afirmados, inteligentes e politizados. “Enfrentar a voz do povo é enfrentar a voz de DEUS” e isso tira votos.

Continuam reverberando o discurso arcaico, de mais de quinhentos anos, sem entendimento de que há uma mudança de comportamento no século XXI. Ainda não há a inclusão digital propriamente dita, porque “POBRES E PRETOS FAVELADOS” só interessam no dia do voto, da forma antiga como se é feita a campanha política no Brasil. Muita coisa mudou, muita coisa há pra ser mudada. A cultura de pão e circo, foi destronada? A quem ela serve? Não há mais SHOWMICIO como a direita e neoliberal sempre fez?

Não se tem legitimidade para representar a comunidade se você não faz parte dela, mas também não há legitimidade se você for dela. E o contra senso continua até que o Presidente Luiz Inácio da Silva que utiliza seu “nome social” LULA, provocado por homossexuais e outras pessoas que lutam contra desigualdades resolve reconhecer no ultimo dia 04 de junho de 2010 que há homofobia nacional, pressionado pelo avanço de 199O em que a OMS retira do cadastro de doenças o homossexualismo falando em homossexualidade de frente como um comportamento, seguindo o modelo do dia 17 de maio como dia mundial de combate a homofobia, a partir de 2011 terá o dia nacional.

O que ainda não se sabe é como podemos deixar que representantes (no coletivo) do segmento LGBTs se deixem enganar por políticos sórdidos que tem interesse mesmo é no poder, não como via de transformação social mas como manutenção dos seus cargos políticos e das suas benesses. Ainda nos pedem calma, ainda nos dizem devagar quando a reparação precisa existir desde a fundação do pais. A informação que chegam até nós é perigosa para os homens e mulheres do poder, a manutenção da ignorância coletiva ainda é a forma de nos mantermos cativos dos “FAVORES” individuais usados para ameaçar homossexuais que se venderam. E que continua a se vender pela incapacidade do estado e do pais em não reconhecer, sequer citar essa exclusão meritócratica da política de manutenção de mesmos quadros no poder. A alternância do poder é importante para que possamos ou sentir saudades do que passou, ou nem sequer querer lembrar. Não queremos paliativos, queremos uma postura de governo, uma lei de governo para fazer o combate e a redução de danos a quem não puder ser reparado, que já tenha morrido como Janaina Dutra. Queremos aqui e agora o “Bahia sem homofobia” nos 417 municipios, funcionando, fiscalizado, mapeado e garantido por lei. Sem autofagismo.

Por isso é necessário, faz-se necessário a autoanálise mas basta uma única forma para descrever a postura da pessoa a quem daremos nosso voto: Se ele tem vergonha de mim, eu também tenho vergonha dele. Ou delas....

“...Enquanto isso na sala da justiça” o projeto de lei complementar contra homofobia 122/2006 continua na gaveta esquecido pelo descaso.

Lyz

Cruz das Almas.Recôncavo da Bahia. Brasil
www.lyzedebora.blogspot.com

domingo, 20 de junho de 2010

Lula que não sabe nada de nada...

FHC, o farol, o sociólogo, entende tanto de Sociologia quanto o governador de São Paulo, José Serra, entende de economia. Lula, que não entende de sociologia, levou 32 milhões de miseráveis e pobres à condição de consumidores; e que também não entende de economia; pagou as contas de FHC, zerou a dívida com o FMI e ainda empresta algum aos ricos.

Lula, o analfabeto, que não entende de educação, criou mais escolas e universidades que seus antecessores juntos [14 universidades públicas e estendeu mais de 40 campi], e ainda criou o PRÓ-UNI, que leva o filho do pobre à universidade [meio milhão de bolsa para pobres em escolas particulares].

Lula, que não entende de finanças nem de contas públicas, elevou o salário mínimo de 64 para mais de 291 dólares [valores de janeiro de 2010], e não quebrou a previdência como queria FHC.

Lula, que não entende de psicologia, levantou o moral da nação e disse que o Brasil está melhor que o mundo. Embora o PIG-Partido da Imprensa Golpista, que entende de tudo, diga que não.

Lula, que não entende de engenharia, nem de mecânica, nem de nada, reabilitou o Proálcool, acreditou no biodiesel e levou o país à liderança mundial de combustíveis renováveis [maior programa de energia alternativa ao petróleo do planeta].

Lula, que não entende de política, mudou os paradigmas mundiais e colocou o Brasil na liderança dos países emergentes, passou a ser respeitado e enterrou o G-8 [criou o G-20].

Lula, que não entende de política externa nem de conciliação, pois foi sindicalista brucutu; mandou às favas a ALCA, olhou para os parceiros do sul, especialmente para os vizinhos da América Latina, onde exerce liderança absoluta sem ser imperialista. Tem fácil trânsito junto a Chaves, Fidel, Obama, Evo etc. Bobo que é, cedeu a tudo e a todos.

Lula, que não entende de mulher nem de negro, colocou o primeiro negro no Supremo (desmoralizado por brancos) uma mulher no cargo de "primeira ministra", e que pode inclusive, fazê-la sua sucessora.

Lula, que não entende de etiqueta, sentou ao lado da rainha (a convite dela) e afrontou nossa fidalguia branca de olhos azuis.

Lula, que não entende de desenvolvimento, nunca ouviu falar de Keynes, criou o PAC; antes mesmo que o mundo inteiro dissesse que é hora de o Estado investir; e hoje o PAC é um amortecedor da crise.

Lula, que não entende de crise, mandou baixar o IPI e levou a indústria automobilística a bater recorde no trimestre [como também na linha branca de eletrodomésticos].

Lula, que não entende de português nem de outra língua, tem fluência entre os líderes mundiais; é respeitado e citado entre as pessoas mais poderosas e influentes no mundo atual [o melhor do mundo para o Le Monde, Times, News Week, Financial Times e outros...].

Lula, que não entende de respeito a seus pares, pois é um brucutu, já tinha empatia e relação direta com George Bush – notada até pela imprensa americana – e agora tem a mesma empatia com Barack Obama.

Lula, que não entende nada de sindicato, pois era apenas um agitador;.. é amigo do tal John Sweeny [presidente da AFL-CIO - American Federation Labor-Central Industrial Congres - a central de trabalhadores dos Estados Unidos, que lá sim, é única...]e entra na Casa Branca com credencial de negociador e fala direto com o Tio Sam lá, nos "States".

Lula, que não entende de geografia, pois não sabe interpretar um mapa; é ator da [maior] mudança geopolítica das Américas [na história].

Lula, que não entende nada de diplomacia internacional, pois nunca estará preparado, age com sabedoria em todas as frentes e se torna interlocutor universal.

Lula, que não entende nada de história, pois é apenas um locutor de bravatas; faz história e será lembrado por um grande legado, dentro e fora do Brasil.

Lula, que não entende nada de conflitos armados nem de guerra, pois é um pacifista ingênuo, já é cotado pelos palestinos para dialogar com Israel.

Lula, que não entende nada de nada;.. é bem melhor que todos os outros…!
Fonte: Email Pessoal de Luciana Oliveira Estudante de Psicologia em Itabuna na Bahia. Brasil

Porque eu odeio a copa do mundo?

Por que eu odeio a Copa do Mundo?

*Por Rafael Carvalho




Diante de tanta mobilização e até paralisação em torno de mais uma Copa do Mundo, sinto uma necessidade enorme de desabafar.

Mas, primeiro que parabenizar o governo de São Paulo que se recusou a aplicar dinheiro público na reconstrução do Morumbi, alegando que São Paulo tem outras prioridades do que investir em estádio de futebol que será utilizado de vez em quando. Muito Sensata atitude Parabéns.

Dito isso, eu odeio a Copa do Mundo por que ela se aproxima muito do Pão e Circo romano, por que seu poder de mobilizar a massa e depois explorar é algo vergonhoso.

Eu odeio a Copa do Mundo por que o discurso que o futebol agrega pessoas e pode ser usado com estratégias diplomático entre países conflituosos é uma grande mentira. O futebol é o esporte mais violento do mundo, o Futebol é o esperte que mais desagrega torcidas, o futebol é o esporte que tem mais torcidas violentas no mundo, o futebol é o esporte que mais mata torcedores no mundo.

O futebol é racista, dezenas de jogadores já protagonizaram episódios de descriminação racial dentro dos campos, o futebol é homofobico, vide, o tratamento dado ao jogador Richalyson pela torcida do São Paulo, vide, milhares de declarações de técnicos que afirmam não querer um jogador homossexual em seus times.

O futebol é Xenofóbico por que propaga ódio e intolerância entre países, vide, propaganda (latinhas falantes) da cerveja SKOOL , em uma única propaganda eles conseguem propagar a Xenofobia e a Homofobia.

Odeio Copa do Mundo por que Chamar o time de “Seleção Brasileira” é uma grande mentira, pois 90% dos jogadores atuam fora do país, foram seduzidos pelos Dolores ou os Euros e hoje defendem times da Europa e outras nacionalidades.

Do outro lado, dezenas de brasileiros se naturalizaram em outros país e hoje em nome do dinheiro joga em outras seleções, numa clara demonstração que o capitalismo derruba o patriotismo.

Odeio a Copa do Mundo por que a televisão e outras mídias tenta transformar factóides mercenários em heróis nacionais, tenta nos enfiar goela abaixo seus soldadinhos de chumbo e ainda os lhe dão Títulos de REIS, FENÔMENOS e IMPERADORES.

Odeio Copa Mundo por que como cidadão brasileiro sinto-me lesado em ver repartições públicas e servidores públicos que são pagos com meu dinheiro e o dinheiro do contribuinte fazerem meio expediente em dia de jogos de Brasil.

Odeio Copa do Mundo por que quem fatura alto com elas são as televisões, seus patrocinadores, as seleções, os jogadores, seus técnicos e coordenadores, suas confederações e a dona FIFA, mas, a fatura dessa gastança todo é o povo, alienado, manipulado, e usado como maquina de manobra que vai pagar.

Odeio a Copa do Mundo por que certamente ela deixará um rombo imenso em países subdesenvolvido e com certeza o povo é que pagará as suas contas.

Odeio a copa do mundo por que ela é uma grande "cómedia" capitalista disfarçada de cultura e entretenimento, por que enquanto os brasileiros param o país em frente a uma televisão lá em Brasília onde os homens do PODER adoram um motivo pra não trabalhar, em dias de jogos eles trabalham a todo vapor.
Sabe pra que? Para que eles possam votar seus projetos de interesses particulares longe dos olhos do povo, que alienados ideologicamente estão cegos frente a um aparelho televisor.

Eu odeio a Copa do Mundo por que essa historia de que um país sofredor como o nosso os jogos da seleção são uns dos poucos momentos de felicidade da população, argumento chulo e sem lógica.

Odeio a Copa do Mundo por que ela ilude o povo Brasileiro, um dos países mais violentos do mundo, um país com o indicie de desigualdade social mais alto do mundo, um dos países que mais mata LGBT no mundo.
Um dos poucos paìses que ainda tolera o analfabetismo, o machismo, o coronelismo, a exploração religiosa, a exploração infantil, o êxodo rural e a corrupção política, não pode se dá ao luxo de vender uma falsa idéia de CAMPEÂO.

Odeio a Copa Do Mundo, ela não acrescenta em nada na vida do povo Brasileiro, talvez, meia hora de uma alegria inútil e um patriotismo equivocado.

* É vice Presidente do Grupo GLICH (Grupo Liberdade e Cidadania Homossexual) de Feira de Santana;
* Atua na área de prevenção em saúde de lésbicas, gays, transsexuais, travestis e transgêneros;
* Co autor das seis edições do Troféu DR Luiz Mott de Cidadania Homosexual;
* Atua em foruns, de ONG e AIDS e articulações para cidadania Homossxual e LGBT Estadual, regional e Nacional;
* Faz trabalhos sociais de divulgação da cultura LGBT;
* Promotter;
* É co autor/implementador e executor do Projeto: I Worksop Nacional sobre novas tecnologias e prevenção sobre HIV/DST/AIDS;
* Realizador das 7 Edições da Parada Gay de Feira de Santana.Bahia;
* Pertence ao Comitê Estadual Lgbt da Bahia para mobilização a garantia da cidadania e garantia de direitos LGBTs; 2010 a 2012.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Se isso não for inclusão então não entendo nada de inclusão: Presidiários tambem farão ENEM 2010


ENEM 2010 abre inscrições dia 21


Qua, 09 de Junho de 2010 15:14



Os estudantes que quiserem participar da próxima edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deverão se inscrever entre os dias 21 de junho e 9 de julho. Os candidatos devem preencher os formulários exclusivamente pelo site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Na próxima semana, o edital de abertura das inscrições será divulgado com todos os detalhes da edição de 2010 da avaliação.


O presidente do Inep, Joaquim José Soares Neto, divulgou também que o estudante terá de optar entre uma prova de inglês ou espanhol. Os itens de língua estrangeira estarão dentro da prova de linguagens, que continuará com 45 questões. O exame será aplicado nos dias 6 e 7 de novembro. No primeiro dia, os candidatos responderão a 45 questões de ciências da natureza (física, química e biologia) e 45 de ciências humanas (geografia e história) das 13h às 17h30. No segundo, as provas são de linguagens (língua portuguesa, literaturas e inglês ou espanhol), matemática (45 questões) e redação. Os estudantes terão uma hora a mais para fazer os exames. Os resultados devem ser divulgados no início de janeiro.

Os presidiários também poderão participar da avaliação. No entanto, terão datas específicas para fazer inscrição (ainda não definidas). O coordenação de educação dos presídios será responsável pelo preenchimento dos formulários. As provas também serão realizadas em momentos distintos.

Segurança máxima

Na última edição do Enem, o Ministério da Educação enfrentou um grande desafio. Além de modificar toda a estrutura do exame - que ganhou quatro provas e uma nova metodologia de avaliação -, precisou criar novas estratégias de aplicação das provas, executá-las e corrigi-las em dois meses. "Estamos cuidando de cada passo da estrutura de elaboração e segurança do Enem", garante Neto.

A primeira prova precisou ser cancelada por causa de uma fraude às vésperas da data inicial de aplicação. Um funcionário da gráfica onde os exames foram impressos retirou um exemplar do caderno de questões e tentou vendê-lo a jornalistas. Depois da denúncia, feita pelo jornal O Estado de S. Paulo ao MEC, o contrato com a empresa encarregada da execução do Enem foi cancelado.

O Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe) da Universidade de Brasília (UnB) e a Cesgranrio foram contratados em caráter emergencial para aplicar as provas, além de uma nova gráfica que imprimiu os testes. Depois da aplicação, houve falhas na divulgação do gabarito. Os episódios culminaram com a demissão do então presidente do Inep, Reynaldo Fernandes.

Por causa disso, algumas regras adotadas na ocasião serão mantidas. O Inep continuará contratando diretamente a gráfica que vai imprimir os testes - elaborados a partir de um grande banco de itens mantido pelo próprio órgão - seguindo rígidos critérios de segurança. Esses padrões estão sendo definidos junto com a Polícia Federal, mas incluem número e localização de câmeras de segurança, controle de entrada e saída de funcionários, cuidados de manuseio do material.

O Cespe e a Cesgranrio serão os responsáveis, mais uma vez, pela aplicação e correção dos cartões de respostas e das redações. De acordo com Neto, o consórcio será contratado por dispensa de licitação. Como o Enem se tornou um processo seletivo, ele afirmou que essa é uma estratégia possível para o ministério. Os órgãos de controle, como Tribunal de Contas da União e Controladoria Geral da União, participaram de reuniões com o Inep e o MEC após o furto da prova do Enem, que culminou na contratação de emergência dessas empresas.

Fonte: Priscilla Borges, iG Brasília

Censura na internet

CENSURA NA INTERNET - MPE pede para TSE retirar do ar mais um site favorável a Dilma Rousseff

BRASÍLIA - O Ministério Público Eleitoral (MPE) protocolou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) uma nova ação cautelar pedindo para que a Google Brasil Internet Ltda retire do ar o site favorável a candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff. Desta vez, o blog questionado é o www.amigosdopresientelula.blogspot.com , que segundo o MPE promove propaganda eleitoral antecipada em favor de Dilma. A ação pede também que o TSE determine à Google que informe quem são os responsáveis pelo site. De acordo com o MPE, o blog enaltece a candidatura de Dilma Rousseff ao citar, por exemplo, relatório do banco suíço USB no qual se menciona que é significativa a probabilidade de Dilma ganhar a eleição no primeiro turno, "em razão do desejo do eleitor de manter as coisas como estão e o fato de ela ser associada coma a candidata da continuidade". Além disso, o blog faria propaganda negativa contra o pré-candidato tucano, ao divulgar que "José Serra é o governo do PPP. Privatização, presídio, pedágio e paulada em professores e no movimento social". O MPE ressalta que essas matérias são transcritas a título exemplificativo, já que novas mensagens são incluídas todos os dias. Na quarta-feira, o ministro Henrique Neves deu prazo de 24 horas - a partir da notificação - para que a empresa Google forneça a completa identificação dos responsáveis pelo conteúdo do site "Blog da Dilma" (www.dilma13.blogspot.com). O despacho foi dado em atenção à ação do MPE que acusa o blog também de fazer propaganda eleitoral antecipada em favor da candidata petista. O ministro não atendeu, no entanto, o pedido de liminar para a retirada do site do ar. O MPE também já entrou contra a Google Brasil, para questionar outro blog que estaria fazendo campanha eleitoral antecipada para o candidato do PSDB, José Serra , e que ela também hospeda. A ação faz referência à página na internet "euqueroserra.blogspot.com". Para o MPE, a empresa deve ser responsabilizada, já que o site não identifica os responsáveis pelo conteúdo.

NOTA DE SOLIDARIEDADE DO BLOG DA DILMA:
Não estamos acreditando com a volta da CENSURA no Brasil, que parece uma implantação do AI-5 na era VIRTUAL. Queremos de público manifestar nosso apoio a Helena do Blog dos Amigos do Presidente Lula, que sempre lutou pela democracia e pela liberdade de expressão na internet. Nosso apoio irrestrito. Atenciosamente,

Jussara Seixas e Daniel Bezerra

Nota de utilidade pública: Procura-se Heide Bomfim



URGENTE

GALERA ESTA É NOSSA AMIGA, VOLUNTÁRIA DO GAPA DE ITABUNA ESTUDANDE DE DIREITO DA FTC, HEIDE BONFIM, QUE ENCONTRA-SE DESAPARECIDA DESDE AS PRIMEIRAS HORAS DE HOJE, SABEMOS APENAS QUE ELA PODE ESTAR COM SEU EX MARIDO, LEONARD, QUE PODE ESTAR UTILIZANDO UM CARRO PALIO 2007 VERDE DE PLACA JQQ 2356 DE ILHÉUS, POR FAVOR AGUEM QUE TENHA VISTO ESSE CASAL OU MESMO O CARRO, LIGUE PARA 190, OU ENTRE EM CONTATO CONOSCO NO GAPA 073-3617-7692,COM MIRALDA 073 8848-3243, COM CRISTIANE 073-8801-9905. QUE DEUS ABENÇOE A TODOS QUE SE DISPUSEREM A JUDAR-NOS NESSE MOMENTO.

Fonte: Email pessoal de Myra Chagas voluntária do GAPA ITABUNA E MEBRO DO FOBONG/BAHIA.

PT Nacional, Flávio Dino, Roseana Sarney e o povo brasileiro e brasileira.

PT Nacional anula apoio a Flávio Dino e adere ao clã Sarney

“O PT resolveu apoiar o grupo Sarney retirando o apoio à aliança PCdoB/PSB. Que fale o povo do Brasil e do Maranhão”, anunciou no twitter o deputado Flávio Dino (PCdoB-MA), pré-candidato ao Governo do Maranhão, minutos após a decisão tomada na reunião do Diretório Nacional do PT, nesta sexta-feira (11), em Brasília. O deputado Domingos Dutra, do PT do Maranhão, reagiu com indignação: “Venceu o crime organizado comandado pelo Sarney, pelo filho, pela filha.”
Em nota divulgada pouco depois da decisão petista, Flávio Dino reafirmou que manterá sua candidatura mesmo sem o apoio do PT. "Prossigo na pré-campanha no Maranhão, com o PCdoB, o PSB, os petistas e os movimentos sociais. A esperança está mais viva do que nunca. Quem conhece o sofrimento e a pobreza do povo do Maranhão, e se indigna com essa situação vergonhosa, não se permite ter medo", registrou o deputado comunista. Leia mais aqui

No dia anterior, em discurso no plenário da Casa, Flávio Dino disse, dirigindo-se à bancada do PT na Câmara e no Senado e aos seus militantes e dirigentes que no dia 27 de março, o PT do Maranhão resolveu apoiar aliança com PCdoB e PSB. “Fraternalmente, como pré-candidato indicado da aliança, militante da esquerda brasileira, aliado e membro fiel, leal, dedicado e determinado da base do Governo Lula, venho perguntar como companheiros petistas legitimam essa suposta intervenção, essa pretendida revisão sobre a decisão autônoma adotada pelo PT do Maranhão”, indagou o deputado.

Para Domingos Dutra, a decisão do PT nacional representa uma contradição política com o governo do presidente Lula, que está democratizando o Brasil e, no Maranhão, eterniza uma oligarquia de 40 anos, em detrimento dos aliados históricos do PT, como PSB e PCdoB. “Quando a gente chorava a derrota do Lula, o Sarney saboreava as vitórias”, lembra, acusando o senador de ter se aliado a todos os governos desde a época da ditadura militar.

Também para Flávio Dino, a decisão é uma “incoerência”. “Não há razão, suporte, não há condições jurídicas sequer para se proceder à essa revisão ou intervenção. A aliança que pretendemos se insere puramente no campo do Governo Lula. Se a Direção Nacional do PT resolver apoiar a candidatura da Sra. Governadora Roseana Sarney, estará sim sendo incoerente, uma vez que fazem parte da aliança que apoia a Governadora partidos que aqui não são da base do Governo Lula, o DEM, por exemplo, ou que têm candidatos que não é a Ministra Dilma, como o Partido Verde.”

Em nota divulgada na tarde desta sexta-feira, o PCdoB "lastima profundamente" a decisão tomada hoje pelo Diretório Nacional do PT. "Tal decisão contraria os mais fundos sentimentos progressistas e democráticos dos maranhenses", diz o documento, assinado pelo secretariado nacional do PCdoB. Clique aqui para ler a íntegra da nota do PCdoB

Dutra: "o PT que tem voto está com Flávio Dino"

"Não vamos acatar essa decisão porque violentou as regras do PT”, anuncia Dutra, acrescentando que “se Flávio Dino mantiver a candidatura, que é o que eu defendo, o PT que tem voto está com o Flávio Dino. Nós estamos juntos com ele."

O petista maranhense lembra que “existe resguardo no estatuto do Partido de que questões antiéticas nós não somos obrigados a cumprir e levar o PT para o PMDB do Sarney fere a ética, a moral. É uma família de bandido”, diz, destacando que “não sou eu que conhece, o Maranhão que conhece, todo o Brasil conhece.”

“Estou em greve de fome para denunciar essa violência, a violência do Sarney no Maranhão, para otimizar a candidatura de Flávio Dino e obter entendimento com diretório nacional”, anunciou, dizendo que ainda acredita na reversão da decisão “ou eles vão expulsar a gente”, concluiu.

Aliado de toda hora

Enfatizando a fala de Dutra, Flávio Dino lembrou que “o PCdoB sempre sustentou este projeto, sempre sustentou este Governo, nos piores momentos. Não somos daqueles que só navegam nas águas tranquilas, na bonança da popularidade do Presidente Lula.”

E continuou: “Enfrentamos as derrotas de 1989, de 1994, de 1998, enfrentamos as crises que houve neste Parlamento. O Presidente Aldo Rebelo assumiu, em nome do nosso partido, esta Presidência para ajudar nosso Governo. Podemos e devemos sim nos dirigir ao PT dizendo que nós do PCdoB pretendemos lançar o primeiro candidato a Governador da história do nosso partido. São 88 anos de história e esta é primeira vez que apresentamos pré-candidatura ao Governo Estadual. Sempre apoiamos o PT, e o apoiamos em praticamente todos os Estados, vencemos a disputa estadual.”

Ao encerrar sua fala, Flávio Dino retribui o apoio recebido de parcela significativa dos petistas do Maranhão, ao reverenciar a liderança camponesa, histórica, o fundador do Partido dos Trabalhadores, o líder Manoel da Conceição, assim como a candidata a vice-governadora Terezinha Fernandes, Bira do Pindaré, pré-candidato ao Senado, e o deputado Domingos Dutra, “que tem sido exemplar e corajoso na defesa das posições políticas do PT do Maranhão.”

Íntegra da Resolução Diretório Nacional do PT


Política de Alianças no Maranhão

Considerando as diretrizes estabelecidas no 4º Congresso Nacional do PT que definiu como objetivo principal de 2010 a vitória na eleição presidencial, com a candidatura da companheira Dilma Rousseff, para dar continuidade aos avanços do projeto democrático e popular liderado pelo Presidente Lula;

Considerando que o 4º Congresso estabeleceu, ainda, a respeito das eleições estaduais, que é de competência da direção nacional a deliberação, em última instância, sobre as questões de tática e alianças nos Estados;

Considerando a importância do PMDB na base aliada do nosso governo e na composição da coligação eleitoral nacional para as Eleições 2010;
O Diretório Nacional

RESOLVE

1. Aprovar a coligação estadual majoritária com o PMDB no Estado do Maranhão e à candidata ao Governo do Estado, Roseana Sarney;

2. Determinar à Comissão Executiva Estadual do PT do Maranhão, na realização de sua Convenção Oficial para a escolha de candidatos e aprovação de coligações às próximas eleições gerais, a observância das diretrizes estabelecidas na presente Resolução, em consonância às normas legais, bem como às normas estatutárias definidas no Capítulo I do Título V do Estatuto do PT.

Brasília, 11 de junho de 2010

Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores

De Brasília
Márcia Xavier

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Sou Feminista por Florence Thomas

Sou feminista Florence Thomas Cofundadora del grupo Mujer y Sociedad
FACULTAD DE CIENCIAS HUMANAS UNIVERSIDAD NACIONAL DE COLOMBIA Marzo, 2008.

Traduzido por Claudina Ramirez

Nunca declarei guerra aos homens; não declaro guerra a ninguém, mudo a vida: sou feminista. Não sou nem amargurada nem insatisfeita: gosto do humor, do riso, porém também sei compartilhar a dor de milhares de mulheres vítimas de violência: sou feminista. Gosto com loucura da liberdade, mas não da libertinagem: sou feminista. Eu não sou pró-aborto, sou pró-escolha porque conheço as mulheres e creio em sua enorme responsabilização: sou feminista. Eu não sou lésbica, e se fosse, qual seria o problema? Sou feminista. Sim, eu sou feminista porque não quero morrer indignada.

Sou feminista e defenderei até onde eu puder o direito de as mulheres viver livres da violência. Sou feminista, porque eu acredito que o feminismo é hoje um dos últimos humanismos nesta terra desolada e porque eu aposto um mundo misturado, feito para homens e mulheres que não têm a mesma forma de habitar o mesmo mundo, de interpretá-lo e agir sobre ele.

Sou feminista, porque eu gosto de provocar debates nos lugares onde posso fazê-los.

Sou feminista para movimentar idéias e colocar a circular conceito; para desconstruir velhos discursos e narrativas, para destruir mitos e estereótipos derrubar papéis prescritos e imaginários emprestados. Eu também sou feminista para defender os sujeitos inesperados e seu reconhecimento como sujeitos de direito como gays, lésbicas e transexuais, como idosos, como crianças, como descendentes indígenas e afro-descendentes e como todas as mulheres que não desejam dar à luz mais nenhuma criança que possa ir para a guerra. Eu sou feminista e escrevo para as mulheres que não têm voz, para todas as mulheres, por suas inegáveis semelhanças e suas evidentes diferenças. Eu sou feminista, porque o feminismo é um movimento que me permite pensar também em nossas irmãs do Afeganistão, Ruanda, Croatas, Iranianas, que me permite pensar nas meninas africanas cujo clitóris foi arrancado e em todas as mulheres que são obrigadas a cobrir-se com véus, em todas as mulheres maltratadas pelo mundo, abusadas, estupradas e em todas as que pagaram com suas vidas por esta peste mundial chamada misoginia.

Sim, eu sou feminista, para que possamos ouvir outras vozes, para aprender a escrever o roteiro da humanidade, com sua complexidade, diversidade e pluralidade. Eu sou feminista para mover a razão e impedir que ela se fossilize num discurso estéril para o amor. Eu sou feminista para reconciliar razão e emoção e, humildemente, participar na construção de sujeitos “sentipensantes” como chamou Eduardo Galeano. Eu sou feminista e defensora de uma epistemologia que aceite a complexidade, ambigüidade, incerteza e desconfiança. Sei agora que não existe uma verdade única, uma História com H maiúsculo, ou um sujeito universal. Há verdades, histórias e contingências que coexistem com a história oficial tradicionalmente escrita por homens, as histórias não-oficiais, histórias de vidas particulares, histórias de vida que nos ensinam muito sobre o outro lado do mundo, talvez seu lado mais humano. Por fim, sou feminista por tentar atravessar uma moral patriarcal das exclusões, dos exílios, dos orfanatos e guerras, uma moralidade que nos governa há séculos. Eu tento ser uma feminista no contexto de uma modernidade que, finalmente, cumpre sua promessa para todos e todas.

Como diz Gilles Deleuze "sempre se escreve para dar vida, para liberar-la quando ela está aprisionada, para traçar linhas de fuga". Sim, vou tentar traçar para as mulheres deste país linhas de fuga que passem pela utopia. Porque acredito que um dia existirá no mundo um lugar para as mulheres, para suas palavras, suas vozes, suas demandas, seus desequilíbrios, seus transtornos, suas afirmações como seres iguais politicamente aos homens e diferentes existencialmente. Um dia, num futuro não muito distante, eu espero que deixemos de atrair e perturbar os homens, deixemos de nos dividir em mães ou putas, em Marias ou Evas, imagens que alimentaram durante séculos o imaginário patriarcal, teremos então aprendido a fazer alianças entre o que representa Maria e o que significa Eva. Teremos aprendido a ser mulheres, apenas mulheres.

Nem santas, bruxas, putas, virgens, submissas, ou histéricas, mas mulheres, resignificando este conceito, preenchendo-o com vários conteúdos capazes de refletir novas práticas de si que nossa revolução nos entregou mulheres que não mais precisem de amos/maridos, mas de novos companheiros dispostos a tentar reconciliar com elas a partir do reconhecimento imprescindível da solidão e da necessidade imperativa do amor.

Por isso repito tantas vezes que ser mulher hoje é quebrar os velhos padrões do esperados para nós, é não reconhecer-se como o que foi pensado para nós, é “extraviar-se”, como tão bem expressa a feminista italiana Alessandra Bocchetti. Sim, não reconhecer-se como o que foi pensado para nós. Por isso sou uma extraviada, sou uma feminista. E o sou, com o direito também de errar.


Suelen

"O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons" (Martin Luther King)

Enviado por email por Leidy Baleeiro.

Vereadora de Salvador no apoio ao grito e a marcha contra homofobia em Brasilia.



Direitos humanos, direitos a serem conquistados.

17 de maio


Dia Nacional de Luta contra a Homofobia


O dia 17 de maio é um dia especial na luta pelos Direitos Humanos como direito universal de toda a humanidade. Nesta data, no ano de 1990, o movimento LGBT conseguiu uma importante vitória: retirar a homossexualidade da classificação internacional de doenças da Organização Mundial de Saúde (OMS).


Por essa razão, nesta data, lembramos o enfrentamento a uma violência crescente em nosso país, nessa data lembramos a Luta contra a Homofobia.
O termo homofobia é usado para descrever a repulsa face às relações afetivas e sexuais entre pessoas do mesmo sexo, o ódio generalizado e todos os aspectos do preconceito e da discriminação aos homossexuais.



Por conta desse ódio generalizado, instalado em nossa sociedade e “permitido” pelas instituições, o Brasil ostenta um dos níveis mais altos de intolerância à diversidade sexual, que se traduz em números expressivos de atos de violência física, moral e psicológica contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais – além dos casos de homicídio, freqüentes e insolúveis.



A “permissividade” das instituições a crimes dessa natureza nos faz refletir sobre como está estruturado e institucionalizado um padrão de sexualidade, considerada “normal”: o padrão heterossexual ou a norma heterossexual. É nessa normatização que se ancora a homofobia.



Tentativas de impor a heterossexualidade como superior ou como única forma de sexualidade é uma violação dos direitos humanos, tal como o racismo e o sexismo, e devem ser desafiadas com igual determinação por todas as pessoas que lutam por democracia e justiça.



É preciso enfrentar a homofobia como um crime contra a humanidade, essa humanidade cuja maior riqueza reside exatamente na possibilidade de ser diversa.



É preciso construir uma sociedade mais que tolerante, uma sociedade verdadeiramente democrática, que inclua e respeite as diferenças como possibilidades de vida.



No dia 19 de maio de 2010 será realizado, em Brasília, o 1º Grito Nacional pela Cidadania LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) e Contra a Homofobia. Nosso mandato apóia essa manifestação, considerando que é um marco na luta pelos Direitos Humanos no Brasil.



Nesse sentido apresentamos uma moção de apoio a essa iniciativa, aprovada pela Câmara Municipal de Salvador.



Vereadora Vania Galvão

terça-feira, 15 de junho de 2010

Aprovado em Comissão Projeto de Lei que modifica a Lei Maria da Penha

Aprovado em Comissão Projeto de Lei que modifica a Lei Maria da Penha

14.06.2010 - Comissão da Câmara dos Deputados aprovou, na última semana, um Projeto de Lei que acelera a adoção de medidas urgentes em casos de violência contra a mulher
A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados aprovou, no dia 9 de junho, o Projeto de Lei 6340/09, do deputado Capitão Assumção (PSB-ES). O projeto modifica a Lei Maria da Penha com o objetivo de acelerar a adoção de medidas urgentes de combate à violência contra as mulheres.

De acordo com o texto, fica acrescido ao artigo 12º da Lei Maria da Penha, um inciso que reduz de 48 para 24 horas o prazo dado à autoridade policial para enviar ao juiz o pedido da mulher ofendida, para a concessão de medidas protetivas de urgência. O projeto determina ainda que, recebido o expediente com o pedido da ofendida, cabe ao juiz o prazo de 24 horas (não mais de 48 horas) para adotar as providências cabíveis.

O projeto será analisado também pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania e não deverá ser votado pelo Plenário, pois tramita em caráter conclusivo. Nesse tipo de tramitação, o projeto precisa ser votado apenas pelas comissões designadas para analisá-lo, sem a necessidade de passar pela aprovação no Plenário. No entanto, se houver parecer divergente entre as comissões ou recurso contra o rito por parte de 51 deputados, o projeto perde o caráter conclusivo.

Fonte:http://www.observatoriodegenero.gov.br/menu/noticias/aprovado-em-comissao-projeto-de-lei-que-modifica-a-lei-maria-da-penha

Possiveis Sexualidades e protesto do GGB. Infundado?

Por Marcelo Hailer* 11/6/2010 - 13:53



Sob um calor de 30º graus, começou ontem, quinta-feira (10/06), a terceira edição da mostra "Possíveis Sexualidades" , que vai até o dia 17 de junho na Caixa Econômica Cultural no centro histórico de Salvador.

Pontualmente às 20h, o curador da mostra, Rodrigo Barreto, deu as boas vindas ao público que lotou o evento e agradeceu a Caixa pelo apoio. Em seguida quem discursou foi Nilda Sena, da Secretaria de Cultura do governo do Estado da Bahia, que elogiou a ação e ressaltou que a Mostra é importante para a construção de uma "sociedade mais humana".

Também falou a vereadora Olivia Santana (PCdoB - BA). Sincera, Olivia disse que o apoio dado pela Câmera Municipal não foi o "ideal". "Mas já estamos confabulando novas formas de apoio", afirmou. A vereadora contou que fica feliz ao saber que o cinema está sendo usado "para educar as pessoas" e que todo mundo, héteros e gays, deve participar.

O discurso mais polêmico da noite ficou por conta do fundador do Grupo Gay da Bahia, Luiz Mott, que afirmou que novos grupos LGBT querem "destruir" o GGB, chamando a atenção para o fato de sua ONG estar de fora do Comitê LGBT da Bahia. "É justo isso? Esses novos grupos gays são contra a meritocracia, não levaram em conta que fomos nós [GGB] que construímos tudo isso, nos anos 80 nós já fazíamos o Cine GLBT", protestou.

Em seguida, foram exibidos dois curtas dirigidos por Rafael Saar: "A Carta" (2007), que conta a história de um jovem gay repudiado pelo pai, e "Depois de tudo", com a participação de Ney Matogrosso, sobre a história de dois homossexuais maduros.

A 3ª mostra "Possíveis Sexualidades" segue hoje com um debate sobre "Teoria Queer", a partir das 16h. Às 18h30, será exibido o documentário "Meu Amigo Claudia", dirigido por Dácio Pinheiro, que retrata a vida de Claudia Wonder, ícone do underground gay dos anos 80/90.

Serviço:
III Mostra Possíveis Sexualidades
Caixa Cultural Salvador
Rua Carlos Gomes, 57 - Centro - Bahia

*Marcelo Hailer viajou a convite da organização do evento.



Prefeito de Cruz das Almas na Bahia pede cultura de paz e respeito na queima de espadas.

Prefeito Orlandinho divulga nota oficial


O Governo do Povo, por princípio, não compactua com qualquer tipo de violência. Administramos a Prefeitura de Cruz das Almas sob três pilares principais: transparência pública, inversão de prioridades e democracia.


Não queremos e não vamos quebrar esse compromisso com a população de Cruz das Almas. Foram essas bandeiras que nos reelegeram com maioria absoluta de votos em outubro de 2008.


O nosso compromisso é promover políticas públicas para saúde, educação, serviços públicos e ações que melhorem a vida dos moradores de Cruz das Almas. Não é de minha competência intervir em ações táticas das polícias Militar e Civil. A Prefeitura de Cruz das Almas nunca interveio nos trabalhos do Poder Judiciário ou Legislativo, que são harmônicos, porém independentes.


As pessoas que por ventura foram agredidas no evento realizado nas ruas de Cruz das Almas no último domingo devem realizar exame de Corpo Delito e procurar o Ministério Público e a Corregedoria da Polícia Militar.


Reconhecemos a tradição histórica da queima de espadas nas ruas de Cruz das Almas, mas não concordamos que casos isolados manchem a reputação de nosso Município ou iniciem balburdia.


Reafirmo o compromisso da Prefeitura Municipal de Cruz das Almas organizar e promover, com toda a segurança para moradores e turistas, a melhor São João do Brasil.


Orlando Peixoto Pereira Filho

Prefeito municipal de Cruz das Almas
Fonte: Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Caso para estudo...

Ronaldo Lopes debilitado pelo avanço da Esclerose Laterel Amiotrófica (ELA). Não espero pelo milagre, espero pelo avanço da Ciência e que ela seja universal: Para tod@s e todos! Urgente agora para Rony. Força Primo!

Liberdade vigiada


NOTA PÚBLICA SOBRE A PROIBIÇÃO DA MARCHA DA MACONHA E A NEGAÇÃO DO LIVRE DIREITO DE DISCUTIR A QUESTÃO DAS DROGAS




Recebemos uma decisão judicial, protocolada nos últimos minutos do turno da tarde de ontem, em que o Juiz Ícaro Almeida Matos, da 2ª Vara Privativa de Tóxicos de Salvador, defere o pedido da Delegada de Polícia do DENARC - Deptº. Narcóticos - Maria Paula Souza Mota (Processo n.º 0044288-69.2010. 805.0001) e determina a suspensão da Marcha da Maconha, programada para o dia 13 de junho de 2010 em Salvador.


Como argumento para fundamentar a sua decisão o Juiz escreve:



"No caso em exame, entendo que a discussão sobre a legalidade ou não do consumo da referida droga; até então relacionada como ilícita, deve ser feita em locais apropriados, tais como centros universitários, casas legislativas e em outros ambientes propícios para tanto, e não da forma como está sendo proposta, em via pública aos olhos de crianças, idosos e todos os cidadãos."



Revela-se ai uma postura elitista, digna de bacharéis baianos do século XIX, reservando para os "doutores" o direito de discutir questões políticas de importância geral e retirando do cidadão na rua a oportunidade de refletir sobre uma questão que afeta especialmente os setores menos privilegiados da sociedade. Chama especial atenção a maneira desrespeitosa como ele inclui os idosos ao lado de crianças, supostamente atribuindo-lhes uma incapacidade de julgamento e parecendo não incluí-los na categoria seguinte de "todos os cidadãos".



Assim como fizemos em todos os documentos de divulgação da Marcha, repetimos mais uma vez que a Marcha da Maconha NÃO faz apologia à maconha ou ao seu uso, nem tampouco seus organizadores incentivam o uso desta ou de qualquer outra droga ilícita ou lícita, ou a realização de qualquer outro crime. Respeitamos as Leis e a Constituição do país do qual somos cidadãos e também respeitamos os limites legais do direito à livre manifestação de idéias e opiniões. Por isso, divulgamos que não seria tolerado durante o evento o uso de qualquer droga ilícita, ou a realização de apologia a qualquer conduta criminosa. Também divulgamos que não seria permitida a presença de pessoas menores de 18 anos.



Como o nosso movimento se propôs, desde o início, a se manter estritamente dentro da legalidade só no resta acatar a decisão do juiz e questionar, em outras instâncias judiciais, o que percebemos como arbitrariedades e negação do nosso direito à livre expressão de idéias.



Assim, solicitamos aos que pretendiam participar da Marcha que adiem esse propósito para um outro momento, que esperamos que seja logo.



Lamentamos o ocorrido e agradecemos a todos que colaboraram de diferentes maneiras para levar a diante a discussão democrática sobre a questão das drogas.


Edward MacRae

Presidente da Associação Brasileira de Estudos Sociais do Uso de Psicoativos - ABESUP


Fonte: Listas de discussão do Setorial LGBT da Bahia.

Cachoeira capital da Bahia por um dia

A agenda do Exmo. Sr° Governador Jaques Wagner, para o município de Cachoeira, no próximo 25/06 (sexta-feira), às 6h.



25/06 – Cachoeira

6h – Alvorada

8h – Solenidade de Hasteamento da Bandeira

9h – Catedral Te Deum

11h - Hotel Convento do Carmo

15h – Sessão Solene/ Encerramento (Entrega da Ordem 2 de Julho)

16h – Desfile Cívico



Atenciosamente,



Secretaria de Relações Institucionais

Coordenação de Articulação Social

sexta-feira, 11 de junho de 2010

TRE garante que punirá os "fichas sujas"

TRE garante cumprimento da Lei da Ficha Limpa em MT
Desembargador Rui Ramos diz que órgão não hesitará em punir os "fichas sujas", durante as eleições


Rui Ramos, que acredita na eficácia da Lei da Ficha Limpa em Mato Grosso,
durante as eleições.

ANTONIELLE COSTA
DA REDAÇÃO

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Mato Grosso (TRE-MT), desembargador Rui Ramos, disse, nesta quinta-feira (11), acreditar que a Lei da Ficha Limpa terá a eficácia desejada, no que diz respeito à moralização. Segundo ele, a lei será aplicada em sua totalidade em Estado.

Em entrevista, no começo da noite, Ramos explicou que os candidatos que possuem sentença em transitado e julgado e com decisões de pleno já são considerados inelegíveis para a Justiça Eleitoral mato-grossense inelegíveis. Deixou transparecer que, na hipótese de entrarem com o registro de candidatura junto ao TRE, terão seus pleitos negados pelo Corte.

Para o desembargador, a Lei da Ficha Limpa está muito longe do que a sociedade espera, mas é um avanço no processo eleitoral. "A população espera que as pessoas que tenham sido de denúncias e respondem processo já se tornem inelegíveis, como era em 1967. No entanto, não é isso que diz o texto da Lei nº 135/2010, que prevê inegibilidade em casos de decisões democráticas em transitado em julgado e de pleno", observou.

Sobre a constitucionalidade da lei, o presidente do TRE destacou que cabe ao Supremo Tribunal Federal (STF) julgar. Ele explicou que a lei será aplicada pelos tribunais regionais eleitorais e, em caso de questionamentos jurídicos, estes deverão ser feitos nas instâncias superiores.

"Cabe ao TRE analisar os pedidos de registros de candidatura, deferindo ou não. Os candidatos que não concordarem com a decisão deverão recorrer ao TSE ou ao STF. E, certamente, não há nenhuma dúvida de que isso vai ocorrer em muitos casos, com a alegação da presunção da inocência", afirmou.

Pontos polêmicos

Existem três pontos considerados por juristas polêmicos: em primeiro lugar, a vigência da lei, que, segundo o TSE, é valida para as próximas eleições. O advogado Paulo Taques não concorda com tal definição, uma vez que, segundo ele, não atende ao artigo 16 da Constituição Federal, cujo texto diz que as modificações no processo eleitoral têm de ser aprovadas com, pelo menos, um ano antes das eleições.

Na votação do Ficha Limpa, os ministros do STF entenderam que a aplicação nas próximas eleições não traz mudança ao processo eleitoral, por ter sido aprovada antes das convenções. Dessa forma, não seria necessário esperar um ano para começar a aplicá-la.

O segundo ponto questionado pelo advogado é que o texto fere a Constituição Federal, no que tange à presunção de inocência, uma vez que a Constituição diz que "ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória". Ele explicou que, com a inegibilidade, o candidato ficará prejudicado com uma condenação que não existe, em contra-senso com Carta Magna.

O terceiro ponto polêmico, segundo Paulo Taques, é a questão da retroatividade, que também fere a Constituição. No entendimento do TSE, a lei será aplicada nos casos em condenações anteriores à sanção pelo presidente da República. Em seu artigo 5º, inciso XL, a Constituição prevê que a lei retroagirá apenas para beneficiar o réu, fato que não aconteceria com a aplicação do Ficha Limpa, segundo o advogado

Forum de rádiojornalismo na Bahia pela UFRB

UFRB realiza o Fórum de Radiojornalismo na Bahia


Acontece hoje (11) e amanhã (12) de junho o I Fórum Estadual de Radiojornalismo (FER). O evento, que será realizado no auditório do Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, em Cachoeira-BA, discutirá a trajetória do rádio e do radiojornalismo, suas características e potencialidades, destacando-se o papel social deste veículo na sociedade brasileira.


O evento é uma realização da UFRB e da Agecom - Assessoria de Comunicação do Governo do Estado da Bahia.


De acordo com a coordenadora geral do evento, professora Rachel Severo Alves Neuberger, o Fórum se torna necessário como oportunidade de reflexão sobre o papel do rádio e do radiojornalismo, uma vez que este veículo possui grande expressividade social e, no momento, passa por avanços tecnológicos que exigem constantes atualizações acadêmicas e profissionais.


O Fórum, que tem como público-alvo profissionais de rádio, professores e estudantes de comunicação, contará com mesa-redonda, palestras e apresentação de trabalhos de radiojornalismo, voltados à produção acadêmica.


Mais informações por e-mail, através do endereço forumderadiojornalismo@gmail.com


As inscrições, também gratuitas, para quem não for apresentar trabalhos poderá ser feita no local do evento, antes da abertura oficial, que acontece às 19h na sexta-feira.


I Fórum de Radiojornalismo da Bahia
Dia 11 de junho - abertura 19h e mesa redonda
Dia 12 de junho - palestras das 9h às 12h e apresentação de trabalhos das 14h às 17h
Local


Link do evento

www.ufrb.edu.br/forumderadiojornalismo,

que será realizado dias 11 e 12 de junho em Cachoeira.


Programação
11/06 - Sexta-feira
18h - Recepção e inscrição de ouvintes
19h - Abertura
19:30 - Mesa redonda
Sheila Pereira (Rádio Sociedade da Bahia)
Marcos Mendes (Câmara Municipal de Governador Valadares- MG)
Edmundo Filho (AGECOM Governo do Estado da Bahia)
12/06 - Sábado
9h - Palestra - Ubiratan Alves (jornalista/ radialista/ professor)
10h - Palestra Prof.Dr. Maurício Tavares (UFBA)
14h - Apresentação de trabalhos

quinta-feira, 10 de junho de 2010

No Brasil dia nacional de combate a homofobia é sancionado por Lula

Direitos dos Homossexuais
Presidente da República institui 17 de maio como Dia Nacional de Combate à Homofobia
Segmento apoiado pela SID/MinC comemora em todo o País

A comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) está comemorando em todo o País a instituição, por meio de decreto presidencial, do dia 17 de maio como o Dia Nacional de Combate à Homofobia. O Decreto de 4 de junho de 2010 foi publicado no Diário Oficial da União (Seção I, página 5) desta segunda-feira, 7 de junho. O decreto foi assinado, pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, às vésperas da realização da 14ª Parada de Orgulho Gay que aconteceu no último domingo (6), em São Paulo, reunindo cerca de 3,2 milhões de pessoas.

Para o presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), Toni Reis, o decreto presidencial é o reconhecimento governamental de que a homofobia existe no Brasil e que é preciso ter ações concretas para diminuir ou acabar com o preconceito, a discriminação e o estigma contra a comunidade LGBT. Ele informa que a ABGLT encaminhou ofício ao Presidente da República pedindo a instituição da data no dia 29 de março de 2010.

“Esperamos que o exemplo do Brasil seja seguido pelos 75 países que criminalizam a homossexualidade e pelos sete países em que há pena de morte para os homossexuais”, comentou Reis. Segundo ele, o segmento foi informado da assinatura do Decreto criando a data ainda na sexta-feira durante a realização do 10º Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade, promovido na capital paulista pela Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo.

Reis parabenizou o governo Lula, sobretudo a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República pelo empenho em aprovar o Decreto. “Ele [o decreto] vem para coroar a continuidade do Programa Brasil Sem Homofobia; a realização da 1ª Conferência Nacional LGBT; a criação da Coordenação Nacional LGBT, do Conselho Nacional LGBT e do Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos LGBT”, observa o presidente da ABGLT.

O dia 17 de maio de 1990 foi a data em que a Assembleia Mundial da Saúde, órgão máximo da Organização Mundial da Saúde (OMS), retirou a homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças. Desde então é celebrada internacionalmente como o Dia de combate à Homofobia.

O movimento LGBT conseguiu, no final de maio, mais duas vitórias junto ao Governo Federal na sua luta em defesa dos direitos dos integrantes do segmento. A primeira dá direito aos companheiros homoafetivos dos homossexuais que são servidores do Ministério das Relações Exteriores de terem passaportes oficiais ou diplomáticos. A outra vitória trata da permissão de uso para os servidores, no âmbito da Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional, do nome social adotados por aqueles que são travestis ou transexuais.

Para o secretário da Identidade e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, Américo Córdula, que representou o ministro da Cultura, Juca Ferreira, na 14ª Parada de Orgulho Gay, o combate à homofobia, que já fazia parte do Programa Brasil sem Homofobia, é fundamental na luta pelo direito à dignidade e o respeito à diferença no Brasil. “A SID criou, em 2004, um Grupo de Trabalho para fomentar as manifestações culturais do segmento LGBT em todo o país”, informa Córdula.

Segundo o secretário, a SID/MinC apoia, desde 2005, a realização das Paradas de Orgulho LGBT e já realizou dois concursos culturais voltados para o segmento, além de dois prêmios culturais (2008 e 2009) que contemplaram 60 projetos culturais desenvolvidos por pessoas da comunidade LGBT.

Fonte:

(Heli Espíndola, Comunicação/SID/MinC)

quinta-feira, 3 de junho de 2010

É moda ser lésbica?


Por Lisa

Mídia, campanhas publicitárias, clipes musicais, estamos na moda?
Antes de tudo, desculpem pelas semanas longe da coluna, vida pessoal nem sempre permite assiduidade aqui. Enfim, mudando de tópico!

No Twitter me deparei com o seguinte (sic) : “Rihanna vive romance lesbico em novo clipe. Veja versão completa de ‘Te Amo’ http://bit.ly/cxSP5s (@PortalMTV).

Como boa curiosa que sou, cliquei no link e confesso que gostei, sempre me perguntei sobre o contexto desta letra Isso me fez pensar no aumento considerável de “romances lésbicos” na mídia. Estaríamos na moda? Ser lésbica é como usar o vestido da moda? Bom, se assim for, em breve teremos vários corações despedaçados por conta de, quem sabe, uma moda passageira.

Forço-me a pensar que não seja moda, mas o avanço da sociedade, uma era de aquário, um novo conceito que irá mudar os padrões deste mundinho uó que vivemos. Porém, abro a internet e lá vejo as piadinhas de sempre sobre a Maria Gadú, sobre a Ana Carolina e outras mulheres, como Lady Gaga, bem, no caso dela não foi exatamente uma piada e sim um boato mal inventado sobre hermafroditismo.

No portal seguinte duas mulheres lindas juntas fazem sucesso e vira motivo de orgulho e, não de piada. Seria porque a Maria Gadú tem um estilo diferente? Porque a Ana Carolina canta MPB e seu gosto por mulheres sem qualquer pudor? Ou porque apesar do clipe bem feito da Rihanna, isso foi só um fetiche musical e na realidade todo mundo sabe que ela gosta mesmo é de homem, então assim está totalmente perdoada e santificada por “fazer uma ponta” lésbica.

Foram algumas tentativas de nos colocar em pauta na televisão brasileira. Não posso deixar de lembrar o ano de 1998 quando o autor Silvio de Abreu teve de “matar” as personagens de Silvia Pfeifer e Christiane Torloni por conta da baixa audiência gerada pelo preconceito. Afinal, elas eram lindas, bem sucedidas, estáveis e apaixonadas. Uma afronta! Outras produções trouxeram o tema para dentro de casa, lembro que em “Mulheres apaixonadas” meu pai simplesmente saia da sala resmungando, enquanto eu me encolhia no sofá (onde existia um armário invisível), mas a novela foi melhor aceita na época.

Não irei repaginar as tentativas uma a uma, afinal, não é essa uma coluna pra lista top. Não custa salientar, todas as produções brasileiras - ao menos as que vi, em canal aberto – não contiveram beijo homossexual (incluindo as com temática gay), difícil é entender porque quando se trata de casal heterossexual acontece de quase tudo.

Já que estou diante de tantas dúvidas, passo a bola pra vocês, estamos na moda ou a sociedade realmente evoluiu? Não esqueçam que moda passa e demora décadas para voltar.
P.S.: Como falei sobre o Twitter, o meu é @lisadopl

Fonte: www.paradalesbica.com.br


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...