Vote Em Nós

sábado, 30 de janeiro de 2010

Beijaço de Twitteros na Paulista.


Beijaço pelos direitos humanos na avenida Paulista dia 7 de fevereiro!

Posted: 29 Jan 2010 06:37 AM PST

por G. da redação

Twitteiros promovem beijaço na avenida Paulista como sinal de protesto aos direitos humanos.


No próximo dia 7 de fevereiro, domingo, na esquina da avenida Paulista com a rua Augusta, em São Paulo, os twitteiros de plantão irão promover um beijaço para defender as medidas do 3º Plano Nacional de Direitos Humanos, apresentado pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos do Governo Federal.


O protesto pretende reunir homossexuais, héteros, travestis e transexuais para defender o chamado PNDH3, que prevê, entre outros direitos, a união civil entre pessoas do mesmo sexo, a criminalização da homofobia, a legalização do aborto e a adoção homoparental. É bom lembrar que a CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil) ligada à Igreja Católica, manifestou-se contra essas medidas semana passada.


Os organizadores do beijaço dizem que querem “expressar seu comprometimento e apoio a implementação destas políticas públicas e ainda expressar seu repúdio ao ataque vazio e fanático do qual o plano está sendo vítima”.


“A ideia é mostrar, com muita alegria, que as pessoas são diferentes umas das outras, nascem, vivem, se beijam, amam, se relacionam com quem bem entendem, e independente de um ou outro grupo que torce o nariz, sua vida vai continuar acontecendo no anonimato de suas casas”, dizem os organizadores.


O PNDH3 também engloba o cumprimento da Constituição quanto ao caráter laico do Estado brasileiro e pede a retirada de ícones religiosos das instituições públicas.


Protesto:

Ato público “Beijaço pelos Direitos Humanos”

Quando: Dia 7 de fevereiro, às 17h

Onde: Esquina da avenida Paulista com a rua Augusta





Fonte: www.paradalesbica.com.br

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Credenciamento para o Fórum Social Mundial Temático Bahia.

Notícias
29/01/2010 - Credenciamento e distribuição do material FSMT-BA
Continuam abertas as inscrições, agora de forma presencial, e a entrega dos materiais do Fórum Social Mundial Temático da Bahia - FSMT-BA. As pessoas inscritas no site devem comparecer no Convento da Lapa, na Universidade Católica, Campus da Lapa, Avenida Joana Angélica, das 8h às 18h.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Governo e Policia Militar da Bahia.

Governo do Estado entrega mais 65

veículos às Polícias Civil e Militar



O governador Jaques Wagner participa nesta quinta-feira (28), às 9h30min, na sede da 23ª Companhia Independente da Polícia Militar, no bairro de Tancredo Neves, da solenidade de entrega de mais 65 veículos para as Polícias Civil e Militar do Estado da Bahia. Do total, oito veículos vão para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) e serão destinados à remoção de cadáveres. Fazem parte do pacote também duas ambulâncias, que ficarão sob a responsabilidade da Polícia Civil.



Cláudio Pimentel

Coordenação Executiva

Agecom

Até o fim. Ney Matogrosso e Chico Buarque

Cidade dos Anjos

Marcha de mulheres contra a violência.

MARCHA DE MULHERES
CONTRA A VIOLÊNCIA
Data: 28 de janeiro (quinta)

Concentração: Campo Grande
Horário: 15 horas

As mulheres baianas contra a impunidade e em defesa da Lei Maria da Penha.
Participe! Basta de assassinatos e violência contra as mulheres!
Divulgue essa convocação em suas listas de e-mail e para todas as pessoas que vocês conheçam!.





segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Na Bahia, a melhor politica social: trabalho emprego e renda.

Wagner diz que melhor política social
é a geração de trabalho, emprego e renda




A assinatura do contrato com as empresas que vão construir a nova Fonte Nova foi um dos assuntos do programa de rádio Conversa com o Governador desta semana, produzido pela Assessoria Geral de Comunicação do Governo do Estado (Agecom). Entre outros assuntos tratados nesta edição, o governador Jaques Wagner afirmou que a política social é obrigação de sua gestão: “É a nossa tarefa, porque é o que eu digo, a melhor política social é a geração de trabalho, emprego e renda. E é isso que a gente está fazendo”.

O governador Jaques Wagner fala também sobre o Fórum Social Mundial, que será realizado na Bahia nesta semana e que vai contar com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e ainda sobre as obras de saneamento que estão sendo realizadas no interior do estado e sobre a geração de emprego e renda, que é resultado, entre outras coisas, dos investimentos feitos pelo Governo do Estado em infraestrutura.

Quanto a Fonte Nova, Wagner afirmou que já em fevereiro começa o processo de demolição para preparação do terreno e em junho se inicia a edificação. “Seguramente em tempo, a gente entrega essa nova arena de futebol para todo o estado, para que em 2013 a gente já participe da Copa das Confederações”.

Na semana passada, o governador esteve em diversos municípios do interior, onde foram entregues R$ 65 milhões em obras. “A obra de saneamento é fundamental para a preservação dos rios, do subsolo e do mar. Então, nós temos bilhões investidos em saneamento”. As últimas obras concluídas e entregues foram em Palmeiras e Rio de Contas, na região da Chapada Diamantina.

Wagner lembrou que, só no mês de janeiro, já foram visitados 22 municípios, todos eles com entregas de obras. “Agora estamos assinando com Teixeira de Freitas mais R$70 milhões de saneamento, além de Barreiras, Lauro de Freitas e a complementação de Salvador”.

“Estamos trabalhando em todas as áreas, principalmente no social, fortalecendo a agricultura familiar, o pequeno comerciante, ampliando a presença do Governo em todo o estado”.

O governador voltou a falar sobre os 71,2 mil empregos gerados em 2009, um recorde histórico. “Em três anos – 2007, 2008 e 2009 – já batemos na casa de 172 mil novos empregos com carteira assinada”. Segundo ele, várias empresas estão chegando.

Entre as empresas que estão vindo ou ampliando suas atividades, Wagner cita a Pepsico, na área de alimentos, que vai começar a construção da sua unidade em Feira de Santana, a Alston, na área de geração de energia elétrica, e a QBoa, que estava fechada e está reabrindo. “O nosso trabalho é contínuo, a transparência é muito importante para atrair novas empresas e com isso tudo a Bahia bateu recorde”.

O programa Conversa com o Governador é produzido pela Assessoria Geral de Comunicação Social do Governo da Bahia (Agecom ) e disponibilizado na página http://www.comunicacao.ba.gov.br/conversa e no telefone gratuito 0800-071-7328, além de ser reproduzido pela rádio Educadora FM 107 ,5 Mhz e outros veículos de comunicação.

Only Yesterday: Carpenters

Workshop para edital LGBT. Bahia

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Barato Total. Gal Costa

Uma mulher na vice presidencia da OAB Itabuna. Bahia


Vice Presidente da OAB de Itabuna fala com exclusividade para o blog Katrina


Blog Katrina - Qual o desafio dessa importante conquista?
Jurema Cintra - Não foi fácil vencer estas eleições. Eram três chapas com profissionais muito mais experientes do que eu. Afinal de contas não é possível conviver com preconceito geracional e de gênero conjuntamente. Infelizmente ele existe, mesmo dentro dos órgãos de classe
Blog Katrina - Uma mulher a frente da OAB.
Jurema Cintra - Por ser jovem , mulher e lidar com direitos humanos e direitos dos homossexuais fui discriminada e constrangida em algumas oportunidades, mas não me deixei abater e sempre mantive postura altiva
Blog Katrina - Como desenvolverá seu trabalho?
Jurema Cintra - Meu trabalho e minha postura profissional contribuíram para que muitos me admirassem e notassem minha seriedade.

Blog Katrina - Apesar do machismo, ainda existente nos órgãos de classe, percebemos com sua vitória um avanço, um marco histórico. O que podemos esperar de uma advogada à frente da OAB
Jurema Cintra - Estaremos firmes na luta por uma OAB participativa, cidadã, envolvida com a comunidade e defendendo os justos interesses da categoria e afincos na luta pela preservação de um estado democrático de direito.

Blog Katrina - Considerações finais.

Jurema Cintra - Parabenizo a sua iniciativa corajosa e precussora de manter tão seriamente um espaço de interlocução para visibilidade aos direitos civis e juridicos de lgbts. Principalmente por saber que esse cyber espaço é mantido totalmente sem apoio financeiro. Contando com a garra de uma lésbica que deseja e luta por igualdade numa cidade caracteristicamente tradicional e excludente. Manter com recursos próprios, esse blog, não deve ser tarefa simples. São atitudes louváveis como a sua que precisam ser fomentadas e incentivadas financeiramente. Para que assim, mais ações possam ser implementadas rumo a igualdade socio economica.


Dra Jurema Cintra é advogada que atua na área de direitos humanos em Itabuna. Assessora Juridica do Grupo Humanus que defende as causas de lésbicas , gays, bissexuais, transexuais, travestis e transgêneros. Será empossada no dia 29/01/2010.


Haiti, racismo na civilização ocidental

A história do Haiti é a história do racismo na civilização ocidental
por Eduardo Galeano


A democracia haitiana nasceu há um instante. No seu breve tempo de vida, esta criatura faminta e
doentia não recebeu senão bofetadas. Era uma recém-nascida, nos dias de festa de 1991, quando foi
assassinada pela quartelada do general Raoul Cedras. Três anos mais tarde, ressuscitou. Depois de
haver posto e retirado tantos ditadores militares, os Estados Unidos retiraram e puseram o presidente
Jean-Bertrand Aristide, que havia sido o primeiro governante eleito por voto popular em toda a
história do Haiti e que tivera a louca ideia de querer um país menos injusto.

O voto e o veto

Para apagar as pegadas da participação estadunidense na ditadura sangrenta do general Cedras, os
fuzileiros navais levaram 160 mil páginas dos arquivos secretos. Aristide regressou acorrentado.
Deram-lhe permissão para recuperar o governo, mas proibiram-lhe o poder. O seu sucessor, René Préval,
obteve quase 90 por cento dos votos, mas mais poder do que Préval tem qualquer chefete de quarta
categoria do Fundo Monetário ou do Banco Mundial, ainda que o povo haitiano não o tenha eleito nem
sequer com um voto.

Mais do que o voto, pode o veto. Veto às reformas: cada vez que Préval, ou algum dos seus ministros, > pede créditos internacionais para dar pão aos famintos, letras aos analfabetos ou terra aos
camponeses, não recebe resposta, ou respondem ordenando-lhe:

– Recite a lição. E como o governo haitiano não acaba de aprender que é preciso desmantelar os poucos
serviços públicos que restam, últimos pobres amparos para um dos povos mais desamparados do mundo, os
professores dão o exame por perdido.

O álibi demográfico

Em fins do ano passado, quatro deputados alemães visitaram o Haiti. Mal chegaram, a miséria do povo
feriu-lhes os olhos. Então o embaixador da Alemanha explicou-lhe, em Porto Príncipe, qual é o
problema:

– Este é um país superpovoado, disse ele. A mulher haitiana sempre quer e o homem haitiano sempre pode.

E riu. Os deputados calaram-se. Nessa noite, um deles, Winfried Wolf, consultou os números. E comprovou que o Haiti é, com El Salvador, o país mais superpovoado das Américas, mas está tão superpovoado quanto a Alemanha: tem quase a mesma quantidade de habitantes por quilômetro quadrado.

Durante os seus dias no Haiti, o deputado Wolf não só foi golpeado pela miséria como também foi deslumbrado pela capacidade de beleza dos pintores populares. E chegou à conclusão de que o Haiti está
superpovoado. .. de artistas.

Na realidade, o álibi demográfico é mais ou menos recente. Até há alguns anos, as potências ocidentais falavam mais claro.

A tradição racista

Os Estados Unidos invadiram o Haiti em 1915 e governaram o país até 1934. Retiraram-se quando
conseguiram os seus dois objetivos: cobrar as dívidas do Citybank e abolir o artigo constitucional
que proibia vender as plantations aos estrangeiros. Então Robert Lansing, secretário de Estado,
justificou a longa e feroz ocupação militar explicando que a raça negra é incapaz de governar-se a si
própria, que tem "uma tendência inerente à vida selvagem e uma incapacidade física de civilização".
Um dos responsáveis pela invasão, William Philips, havia incubado tempos antes a ideia sagaz: "Este é
um povo inferior, incapaz de conservar a civilização que haviam deixado os franceses".

O Haiti fora a pérola da coroa, a colônia mais rica da França: uma grande plantação de açúcar, com
mão-de-obra escrava. No Espírito das leis, Montesquieu havia explicado sem papas na língua: "O açúcar
seria demasiado caro se os escravos não trabalhassem na sua produção. Os referidos escravos são
negros desde os pés até à cabeça e têm o nariz tão achatado que é quase impossível deles ter pena.
Torna-se impensável que Deus, que é um ser muito sábio, tenha posto uma alma, e sobretudo uma alma
boa, num corpo inteiramente negro".

Em contrapartida, Deus havia posto um açoite na mão do capataz. Os escravos não se distinguiam pela
sua vontade de trabalhar. Os negros eram escravos por natureza e vagos também por natureza, e a
natureza, cúmplice da ordem social, era obra de Deus: o escravo devia servir o amo e o amo devia
castigar o escravo, que não mostrava o menor entusiasmo na hora de cumprir com o desígnio divino.
Karl von Linneo, contemporâneo de Montesquieu, havia retratado o negro com precisão científica:
"Vagabundo, preguiçoso, negligente, indolente e de costumes dissolutos". Mais generosamente, outro
contemporâneo, David Hume, havia comprovado que o negro "pode desenvolver certas habilidades humanas,
tal como o papagaio que fala algumas palavras".

A humilhação imperdoável

Em 1803 os negros do Haiti deram uma tremenda sova nas tropas de Napoleão Bonaparte e a Europa jamais
perdoou esta humilhação infligida à raça branca. O Haiti foi o primeiro país livre das Américas. Os
Estados Unidos haviam conquistado antes a sua independência, mas tinha meio milhão de escravos a
trabalhar nas plantações de algodão e de tabaco. Jefferson, que era dono de escravos, dizia que todos
os homens são iguais, mas também dizia que os negros foram, são e serão inferiores.

A bandeira dos homens livres levantou-se sobre as ruínas. A terra haitiana fora devastada pela
monocultura do açúcar e arrasada pelas calamidades da guerra contra a França, e um terço da população
havia caído no combate. Então começou o bloqueio. A nação recém nascida foi condenada à solidão.
Ninguém lhe comprava, ninguém lhe vendia, ninguém a reconhecia.

O delito da dignidade

Nem sequer Simón Bolívar, que tão valente soube ser, teve a coragem de firmar o reconhecimento
diplomático do país negro. Bolívar havia podido reiniciar a sua luta pela independência americana,
quando a Espanha já o havia derrotado, graças ao apoio do Haiti. O governo haitiano havia-lhe
entregue sete naves e muitas armas e soldados, com a única condição de que Bolívar libertasse os
escravos, uma ideia que não havia ocorrido ao Libertador. Bolívar cumpriu com este compromisso, mas
depois da sua vitória, quando já governava a Grande Colômbia, deu as costas ao país que o havia salvo.
E quando convocou as nações americanas à reunião do Panamá, não convidou o Haiti mas convidou a
Inglaterra.

Os Estados Unidos reconheceram o Haiti apenas sessenta anos depois do fim da guerra de independência,
enquanto Etienne Serres, um gênio francês da anatomia, descobria em Paris que os negros são
primitivos porque têm pouca distância entre o umbigo e o pênis. Por essa altura, o Haiti já estava em
mãos de ditaduras militares carniceiras, que destinavam os famélicos recursos do país ao pagamento da
dívida francesa. A Europa havia imposto ao Haiti a obrigação de pagar à França uma indenização
gigantesca, a modo de perdão por haver cometido o delito da dignidade.

A história do assédio contra o Haiti, que nos nossos dias tem dimensões de tragédia, é também uma
história do racismo na civilização ocidental.

Fonte: Carta Maior.
Quarta-Feira, 20 de Janeiro de 2010
www.cartamaior. com.br


Eduardo Hughes Galeano (Montevidéu, 3 de setembro de 1940) é um jornalista e escritor uruguaio. É autor de mais de quarenta livros, que já foram traduzidos em diversos idiomas, entre eles, As Veias Abertas da América Latina. Suas obras transcendem gêneros ortodoxos, combinando ficção, jornalismo, análise
política e História.

CUFA abre processo contra Consul do Haiti no Brasil.

EXMO. SR. PROMOTOR DE JUSTIÇA DO MINISTÉRIO PUBLICO DO ESTADO DO RIO DE SÃO PAULO



Central Única das Favelas- CUFA DO BRASIL, inscrita, vem apresentar notícia-crime contra Gerge Samuel Antoine, cônsul geral do Haiti em São Paulo, esperando sejam averiguados os fatos a seguir narrados e, eventualmente, instaurada a competente ação penal pública incondicionada.

O cônsul do Haiti em São Paulo, Gerge Samuel Antoine, apareceu em reportagem exibida na noite da última quarta-feira, dia 13 de janeiro, no programa de televisão "SBT Brasil", exibido em rede nacional, dizendo que o recente terremoto que atingiu o Haiti, causando imensa destruição e morte de milhares de pessoas, estaria "sendo bom" para seu trabalho e que a tragédia poderia ter ocorrido por causa da religião praticada por boa parte dos haitianos, descendentes de africanos, os quais são qualificados como amaldiçoados.

Nos termos do vídeo que acompanha esta notícia-crime, o cônsul afirmou: "A desgraça de lá está sendo uma boa pra gente aqui, fica conhecido. Acho que de, tanto mexer com macumba, não sei o que é aquilo... O africano em si tem maldição. Todo lugar que tem africano lá tá fudido." http://audienciadat v.wordpress. com/2010/ 01/15/video- jornalismo- do-sbt-denuncia- consul-haitiano- preconceituoso/


Diante disso, a CUFA - Central Única das Favelas, entidade representativa em todo território nacional e com bases internacionais, considerando 1) a eventual prática de crimes de preconceito racial e religioso, tipificados no artigo 20, da Lei 7.716, de 05 de janeiro de 1989; 2) considerando ainda que a ocupação de cargo de cônsul honorário não gera imunidade diplomática; e 3) considerando que a prática do eventual crime teria se dado em rede nacional de televisão; vem requerer a instauração de inquérito para averiguação dos fatos narrados e, eventualmente constatada a prática de crime, instauração da competente ação penal pública incondicionada.

São Paulo , 20 de janeiro de 2010.



Central Única das Favelas do Brasil - CUFA



KALINE LIMA - PB - vice – presidente

PRETO ZEZE - CE – articulador nacional

DINORA RODRIGUES - RS - conselheira

MV BILL - RJ - presidente de Honra

KARINA SANTIAGO - MT - Direção Nacional

NEGA GIZZA - Coordenação Rio de Janeiro

ANNA SABBAGG - Coordenação - SP.
Fonte: lista do Fórum Baiano Lgbt/Bárbara Alves.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Ney Matogrosso em Salvador Bahia

Ney Matogrosso
Quando 30/01/2010
21:00 - Dia 30 - Não informado
21:00 - Dia 31 - Não informado
Onde Teatro Castro Alves (mapa)
Salvador
Outras informações Ney volta ao palco, desta vez, mais intimista, com o show do álbum “Beijo Bandido”, um registro de estúdio de um show em que Ney Matogrosso encara o público de cara limpa. De tom camerístico, o álbum se situa na MPB, mas sem a fantasia e os adereços do trabalho anterior do artista. Quem brilha soberana desta vez é a voz de Ney, emoldurada por piano, violino e violoncelo. O repertório mescla canções de compositores como Cazuza, Chico Buarque, Edu Lobo, Roberto Carlos, Vitor Ramil e Ricardo Guima & Júnior Almeida.

Apresentações nos dias 30 e 31 de janeiro.
Ingressos (inteira): R$ 150 (Filas A a P), R$ 120 (Q a Z), R$ 100 (Z1 a Z8) e R$ 80 (Z9 a Z11)
À venda a partir de 13/01

Banco do Brasil: Cartão com nome social para travestis e trans.


Banco do Brasil passa a emitir cartões com nome social das Travestis.


As Travestis e Transexuais que possuem conta no Banco do Brasil no Piauí já podem retirar um cartão com o seu nome social.

Em novembro, a Assembleia Legislativa do Estado promulgou uma lei que garante a elas a idenficação pelo nome social em documentos de prestação de serviço quando atendidas nos órgãos da Administração Pública direta e indireta no Piauí.

O Banco do Brasil já está emitindo cartões de conta corrente e poupança de acordo com a lei.

Para fazer a alteração, não há nenhuma burocracia. Basta se dirigir a uma agência e fazer o pedido.

O nome social é aquele pelo qual Travestis e Transexuais escolheram ser chamadas e, portanto, difere do nome grafado na certidão de nascimento.



APOLO - Grupo Pela Livre Orientação Sexual
Conj. Promorar Qd. 33 Rua 18, 241.
CEP: 66110-007 / Val-de-Cans
Fones: (91) 8824-0581 / 8202-3660
CNPJ.: 06788451-
0001/ 11
Belém - Pará

CONGRESSO DST AIDS E HEPATITES VIRAIS



Congresso de prevenção das DST/aids e hepatites virais



Abertas inscrições para apresentação de trabalhos


O VIII Congresso Brasileiro de Prevenção das DST e Aids e o I Congresso Brasileiro das Hepatites Virais abrem nesta quarta-feira (20/01) as inscrições para apresentação de trabalhos.


Os congressos serão realizados de 16 a 19 de junho de 2010, em Brasília (DF), com o tema Viver Direitos: Acesso, Equidade e Cidadania. O tema escolhido é uma proposta de mobilização coletiva e debate sobre os caminhos a serem traçados para que haja acesso universal e equitativo à prevenção da aids no Brasil. Pela primeira vez, será realizado no mesmo período o Congresso Brasileiro das Hepatites Virais.


O prazo para envio de trabalhos encerra-se dia 14 de março. O resultado da seleção será divulgado no dia 20 de abril no site do congresso.


Os autores que enviarem seus resumos pela internet até o dia 17 de fevereiro poderão optar por receberem tutoria. O objetivo da tutoria é auxiliar os participantes na redação de resumos e sistematização de seus trabalhos, de acordo com as regras do congresso. A tutoria para redação de resumos é um processo completamente independente da avaliação dos trabalhos que serão apresentados no evento. Sua finalidade é proporcionar uma oportunidade de aprimoramento do resumo. A tutoria não garante a aprovação posterior do trabalho pela equipe de pareceristas e resumos enviados com essa finalidade não estarão automaticamente inscritos no Congresso. Após o recebimento das orientações, o autor deverá inscrever seu trabalho por meio do formulário de cadastro específico.


Envio de inscrições


Internet
Via formulário disponível no site www.aids.gov. br/congressoprev 2010



Correspondência
Para o seguinte endereço:
Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais – Ministério da Saúde
Unidade de Prevenção
SAF Sul, Trecho 02, Bl. F, Torre 1, Ed. Premium, andar Auditório, sala 2
CEP: 70070-600, Brasília/DF


Mais informações
Atendimento à imprensa
Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais
Tel: (61) 3306 7051/ 7033/ 7010/ 7016/ 9221-2546
Site: www.aids.gov. br
E-mail: imprensa@aids. gov.br

Mais emprego do governo do estado da Bahia.



NOVA FONTE NOVA


FOI ASSINADO/ NA MANHÃ DESTA QUINTA-FEIRA/ NO ESTÁDIO DE PITUAÇU/ O CONTRATO DE PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA ENTRE O GOVERNO DO ESTADO E O CONSÓRCIO ODEBRECHT/OAS PARA AS OBRAS DE RECONSTRUÇÃO E EXPLORAÇÃO DO NOVO ESTÁDIO DA FONTE NOVA// AS OBRAS COMEÇAM EM FEVEREIRO// ASSIM/ A BAHIA MANTÉM A LIDERANÇA ENTRE AS DOZE CIDADES-SEDE DO MUNDIAL/ JÁ QUE PELO CRONOGRAMA DA FIFA/ TODOS OS DOZE ESTÁDIOS QUE VÃO SEDIAR OS JOGOS TÊM QUE ESTAR PRONTOS ATÉ TRINTA E UM DE DEZEMBRO DE 2012/// CONFIRA A COLETIVA DO GOVERNADOR JAQUES WAGNER///



Acesse o link para ouvir ou baixar áudio em MP3:

http://www.comunicacao.ba.gov.br/radio/2010/01/21/construcao-da-fonte-nova-coletiva-do-governador-jaques-wagner.mp3



Obras da Fonte Nova devem começar em fevereiro

Para dar início à construção da nova Fonte Nova, foi assinado pelo governo da Bahia, nesta quinta-feira (21), no Estádio de Pituaçu, um contrato com o Consórcio OAS-Odebrecht. A previsão é que as obras comecem no final de fevereiro, com a demolição da atual arena.

O investimento estimado é de R$ 591,07 milhões, sendo que R$ 400 milhões serão garantidos pelo governo federal, por meio do BNDES. O valor restante caberá ao consórcio, buscando outros financiamentos.

“Vamos fazer a nossa parte, preparando Salvador para a Copa de 2014 e para as Olimpíadas de 2016. É uma satisfação estarmos na frente das outras cidades-sede, cumprindo os prazos estabelecidos pela Fifa”, afirmou o governador Jaques Wagner.


Fonte: AGCEOM/BAHIA

Titulos de filme na tradução para o baianêz.

Como ficariam alguns títulos de filme, se o tradutor fosse baiano:




Uma Linda Mulher – Piriguete Bonita Como A Zorra.

Quem Vai Ficar Com Mary? – Quem Vai Lascar Maria Em Banda?

Riquinho – Barãozinho

Velocidade Máxima – O Buzú Avionado

Os Bons Companheiros – Os Corrente

O Paizão – O Grande Painho

A Morte Pede Carona – A Misera Quer Pongar

Ghost – O Encosto

O Poderoso Chefão 1 – ACM

O Poderoso Chefão 2 – ACM Júnior

O Poderoso Chefão 3 – ACM Neto

O Exorcista – O Lá Ele

Táxi Driver – O Taquiceiro

Corra Que A Policia Vem Aí – Se Pique Que Os Meganha Tão Descendo

O Senhor dos Anéis – O Coroa Dos Balangandans

Janela Indiscreta – Vizinho Na Cocó

Velozes e Furiosos – Ariscos e Virados No Istopô

Esqueceram de Mim – Me Crocodilaram

Forrest Gump – O Culhudeiro

Clube da Luta – Os Comedor de Pilha

O Cavaleiro das Trevas – O Jagunço do Brêu

Silêncio dos Inocentes – O Morta-Fome

Cidade de Deus – Bairro da Paz

Mamma Mia! – O Paí Ó

Sociedade dos Poetas Mortos – É O Tchan Comeno no Centro

Fonte: Otávio Alvares de Almeida Filho
MBA em Comunicação Corporativa,
Universidade Salvador - em andamento
Publicitário.
Centro Universitário Jorge Amado - 2008
OF2 - Comunicação Inteligente

Golpistas roubam dinheiro do Haiti.

Golpistas usam sites falsos para roubar dinheiro para o Haiti

"Homem recebe doação no Haiti"



O órgão que regula a atuação de instituições de caridade na Inglaterra, a Charity Comission, alertou nesta quarta-feira que estão surgindo na Grã-Bretanha sites falsos pedindo dinheiro para as vítimas do terremoto no Haiti.

Em alguns casos, os responsáveis pelos golpes estariam usando o nome de instituições conhecidas para atrair mais doadores.

A principal iniciativa para arrecadar dinheiro para ajudar o Haiti no Reino Unido já angariou 15 milhões de libras (cerca de R$ 43,5 milhões).

No Brasil, a ONG Viva Rio já detectou emails que divulgam um número errado de conta corrente para doações em dinheiro.

No site da organização, há um alerta para que doadores não acreditem em pedidos de ajuda feitos por meio de ligações telefônicas.

Até a terça-feira, a Viva Rio havia arrecadado R$ 400 mil em sua campanha para ajudar as vítimas do tremor da semana passada.

Cuidados

A assessoria de imprensa do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, que coordena no governo os pedidos de doações, afirmou que ainda não foi registrada nenhuma tentativa de fraude.

Desde segunda-feira, o GSI disponibiliza duas contas correntes para doações em dinheiro.

O órgão não tem uma estimativa da quantia arrecadada até agora para as vítimas do terremoto no Haiti.

O GSI e a Viva Rio pedem cuidado especial ao responder emails ou ao clicar em links de pedidos de ajuda e aconselham os interessados a checar no site da instituição de caridade os detalhes necessários para a doação.

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Castração quimica para pedófilos

Para presidente da CPI da Pedofilia castração química favorece criminoso

Gilberto Costa
Repórter da Agência Brasil


Brasília - O senador Gerson Camata (PMDB-ES), autor do Projeto de Lei 552/2007 que permite a chamada castração química (termo leigo) para autores de estupro e abuso sexual contra crianças e adolescentes, quer substituir o nome do tratamento por supressão hormonal e assim tentar aprovar a matéria em caráter terminativo na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado. “Castração química assusta um pouco”, avalia Camata. Para o presidente da comissão parlamentar de inquérito (CPI) que investiga a pedofilia, Magno Malta (PR-ES), a medida favorece o criminoso.

A proposta do peemedebista altera o Código Penal e permite a redução da condenação para quem aceitar a aplicação do medicamento que diminui a libido. A dosagem do remédio e a periodicidade do tratamento pode variar conforme o caso. “Da primeira vez, é pelo tempo que o sujeito foi condenado, da segunda é para sempre”, diz o senador admitindo a possibilidade de reincidência.

Para Gerson Camata, o projeto apresentado há mais de três anos é polêmico e alguns parlamentares avaliam que seja até cruel. O senador nega que haja crueldade, afirma que na proposta o tratamento é voluntário e dura o tempo da condenação. Segundo Camata, em outros países, como o Canadá, a reincidência após se fazer a chamada castração química é de menos de 1%. “O objetivo do projeto é salvar crianças no futuro”, defende.

Na opinião do senador capixaba Magno Malta (PR), o projeto “nem muda e nem acrescenta, mas favorece o criminoso. O sujeito abusa de criança, aceita tomar o medicamento e terá a pena reduzida. Qualquer advogado vai mandar ele tomar o medicamento.”

Segundo Malta, o medicamento funciona como redutor de apetite. “Quando o remédio acaba e passa o efeito, a pessoa tem apetite dobrado”, disse. “Como os pedófilos são compulsivos, não há redução de libido com castração química que vá mudar a situação”, completa.

Para o presidente da CPI, a proposta tem problemas jurídicos – o condenado não é obrigado a tomar o medicamento – e práticos. “Quem vai fornecer o medicamento? Vai ser o Sistema Único de Saúde? O pedófilo vai ter uma carteirinha de pedófilo? Como é que faz para comprar na farmácia?”, questiona.

Em nota, a Associação Brasileira de Psiquiatria afirma que a expressão castração química não é adequada, porque traz “a idéia de punição, constrangimento, lesão corporal, sofrimento”. Segundo a entidade, o tratamento médico da pedofilia tem várias etapas, incluindo a psicoterapia. De acordo com a entidade, “medicações para controle do impulso sexual podem ser indicadas”, como antidepressivos e remédios que regulam a testosterona (hormônio responsável pelas características masculinas e regulação da função sexual).

Conforme a associação, o uso do medicamento raramente excede seis meses e é reversível. “Medicações reguladoras da ação da testosterona são recomendadas para menos de 10% do total de pacientes que de fato sofrem da grave doença médica conhecida como pedofilia. Os pacientes devem entender o processo terapêutico, aceitar o tratamento e ter o apoio de familiares”, assinala a nota.

Homofobia faz Hernany Queiroz repetir ano escolar.

Discriminação afeta desempenho escolar de alunos homossexuais



Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil

Wilson Dias/ABr

Brasília - O estudante Hernanny Queiroz conta que teve o desempenho escolar afetado pela discriminação que sofria por ser homossexual

Brasília - Quando assumiu sua homossexualidade, Hernanny Queiroz tinha 16 anos e cursava o 2° ano do ensino médio. As piadas e xingamentos que ele ouvia frequentemente acabaram fazendo com que fosse reprovado aquele ano.

“Eu comecei a não ir mais para o colégio, faltei tanto que repeti. Quando eu ia as pessoas falavam mal de mim e sempre acabava dando confusão”, lembra.

A história do jovem, hoje com 19 anos, é semelhante à de muitos estudantes gays, lésbicas, travestis e transexuais que têm o desempenho escolar prejudicado pela discriminação que enfrentam.

De acordo com a psicóloga especialista em sexualidade da Universidade Católica de Brasília (UCB) Claudiene Santos, a homofobia no espaço escolar está presente em todos os níveis – desde o ensino fundamental até o superior.

"A autoestima dessas pessoas que são discriminadas fica muito baixa. Como ela pode estar em um lugar em que os outros não a aceitam como ela é de verdade? A consequência em geral é a evasão”, acrescenta a especialista, que integra o Grupo de Pesquisa Sexualidade e Vida, da Universidade de São Paulo (USP/CNPq).

Na avaliação da professora, a homofobia no espaço escolar é mais comum entre alunos. Mas os educadores acabam sendo coniventes ao não intervir, responsabilizar ou orientar os estudantes que cometem a agressão. “O esforço para esse aluno que é vítima de discriminação se manter na escola tem que ser muito maior. Ele ou ela tem que se esforçar para estabelecer relações sociais minimamente respeitosas”, completa.

Para a coordenadora-geral de Direitos Humanos do Ministério da Educação (MEC), Rosiléa Wille, os professores não têm ideia do impacto de suas atitudes sobre o estudante.

“Se tem um menino gay na escola e a professora diz para ele não se vestir daquele jeito, não falar daquele jeito ou não usar um caderno de florzinha, muitas vezes ela acha que está fazendo um bem. E o aluno não se sente respeitado, não se sente compreendido”, pondera a coordenadora-geral.

O jovem Hernanny Queiroz lembra que certa vez um colega de escola o empurrou e o chamou de “viado”. Os dois acabaram brigando e foram levados para a coordenação, mas só ele foi suspenso.

O educador Beto de Jesus, representante na América Latina da Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Trans e Intersexo (ILGA), lembra que a Constituição Federal garante o direito à educação. “Ela fala em direito ao acesso e à permanência na escola para todos e todas. Por isso, a discriminação é uma violação imensa.”

Mesmo que os conflitos sejam entre alunos, Claudiene defende que a escola precisa se posicionar e combater atitudes homofóbicas. “O preconceito vem de casa, mas a escola, como um espaço de educação, pode fazer com que esses estudantes modifiquem suas próprias visões e até mesmo as visões de seus parentes”, afirma.

Edição: Juliana Andrade e Lílian Beraldo

Nome social de travestis e transexuais

Semas aceitará nomes sociais de travestis e transexuais

Fica assegurada a livre escolha do interessado.

A Secretária Municipal de Assistência Social, Elaene Rodrigues, assinou portaria que estabelece o direito ao uso e tratamento pelo nome social a travestis e transexuais, no âmbito dos serviços da política de assistência social em Fortaleza.
Fica, então, assegurado o direito de utilização do nome social, segundo a livre escolha do (a) interessado( a), nos serviços, programas, projetos, ações e benefícios da política municipal de assistência social.

A decisão foi baseada na Constituição Federal de 1988 que estabelece a construção de uma sociedade livre, justa e solidária; a erradicação da pobreza e da marginalização e redução das desigualdades sociais e regionais; a promoção do bem de todos, sem preconceito de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

O nome social será assentado ao lado do nome civil nos registros, cadastros, listas de presença e demais documentos oficiais correlatos à assistência social. Quando solicitada a inclusão do nome social, a orientação é que este seja o utilizado para o tratamento por parte de servidores públicos e demais pessoas ligadas ao serviço

18/01/2010

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Madalena, o teatro das oprimidas.

Madalena, o teatro das oprimidas

O Centro de Teatro do Oprimido realiza no Brasil, Guiné-Bissau e Moçambique, países da África lusófona, de janeiro a maio de 2010, o Laboratório Madalena. Trata-se de uma experiência cênica voltada exclusivamente para mulheres empenhadas em investigar as especificidades das opressões enfrentadas pelas mulheres e em atuar para a criação de medidas efetivas que contribuam para a superação dessas opressões e para a igualdade dos gêneros.

Ney Motta

Sempre buscando inovação nos processos de trabalho e aprofundando as pesquisas sócio-culturais das opressões, o Centro de Teatro do Oprimido realiza no Brasil (Ceará e Rio de Janeiro), além de Guiné-Bissau e Moçambique, países da África lusófona, de janeiro a maio de 2010, o Laboratório Madalena. Trata-se de uma experiência cênica voltada exclusivamente para mulheres empenhadas em investigar as especificidades das opressões enfrentadas pelas mulheres e em atuar para a criação de medidas efetivas que contribuam para a superação dessas opressões e para a igualdade dos gêneros.

Segundo a socióloga Bárbara Santos, a experiência busca percursos de expressões estéticas e narrativas a partir do corpo feminino, esse corpo que ao longo dos séculos permaneceu escondido, protegido e oprimido pelo corpo masculino e hoje parece protagonizar, como objeto e sujeito, a ribalta de nossa sociedade midiática.

O corpo da mulher despido, exibido, sensual, trivial, reinventado, prostituído, espremido e despedaçado nos outdoors, nas páginas das revistas, nas passarelas da moda e do samba, é o melhor veículo para venda de qualquer produto. É no corpo feminino que se trava hoje, mais do que no masculino, o embate entre os hábitos ancestrais e a defesa dos direitos humanos fundamentais. Essa condição comporta ilusões, feridas, contradições e uma busca urgente de significados.

O ponto de partida para o Laboratório Madalena ocorreu em dezembro de 2009 com duas oficinas no Rio de Janeiro, sendo uma delas composta por um grupo de trabalhadoras domésticas nordestinas. A partir de janeiro de 2010, pelo menos quatro laboratórios acontecem no Ceará, Rio de Janeiro, além de Guiné-Bissau e Moçambique, países da África lusófona. As produções artísticas resultantes desses laboratórios (peças, performances, esculturas, pinturas, instalações, poesias, músicas etc) circularão localmente, estimulando a discussão pública a respeito das opressões e violência contra o corpo da mulher, mesmo em tempos de revolução de hábitos e vivências e da emancipação da mulher em diversos contextos sociais.

Vencedor do Prêmio Interações Estéticas – Residências Artísticas em Pontos de Cultura, com patrocínio do Ministério da Cultura/Funarte e realização do Centro de Teatro do Oprimido em parceria com Alessandra Vannucci, diretora teatral italiana, premiada no Brasil com o Prêmio Shell 2006 por ‘A descoberta das Américas’ e na Itália com o Prêmio Arlecchino d’Oro 2007 por ‘Arlecchino all’inferno’, o Laboratório Madalena integra a residência artística da diretora no Projeto Teatro do Oprimido de Ponto a Ponto.

As experiências cênicas do ‘Laboratório Madalena’ estão sendo desenvolvidas por Alessandra Vannucci e Bárbara Santos, socióloga e curinga (1) do Centro de Teatro do Oprimido, que possui larga experiência na formação de grupos populares no Brasil e na África, além de coordenar de programas de formação. A participação das mulheres segue por meio de uma convocatória pública distribuída e replicada, utilizando-se especialmente a internet.

Para apresentar os primeiros resultados da pesquisa, no dia 28 de maio, no Largo da Lapa, Rio de Janeiro, acontecerá o evento Madalena ocupa a Lapa, com apresentação de peças, performances, poesias (Madalena Encena), esculturas, pinturas, instalações (Madalena Expõe), show musical comandado por mulheres (Madalena Canta) e lona de discussão sobre a situação da mulher na sociedade atual (Madalena Debate).

A experiência está sendo registrada para o documentário Madalena e será publicada na Metaxis, a Revista do Centro de Teatro do Oprimido.

(*) Ney Motta é assessor de comunicação do Centro de Teatro do Oprimido e editor de conteúdo do www.cto.org.br

(1) Artista com função pedagógica, praticante, estudioso(a) e pesquisador(a) do Teatro do Oprimido, um(a) especialista em constante processo de formação

Forum Social Mundial temático: Inovação

Fórum Social Mundial da Bahia

inova com participação

de governos



Movimentos sociais e centrais sindicais convidam governos progressistas, que praticamente não existiam quando o Fórum Social Mundial (FSM) foi criado em 2001, para participar, pela primeira vez em condições paritárias, do 1º Fórum Social Mundial Temático da Bahia (FSMT-BA), de 29 a 31 de janeiro, em Salvador, com o tema Da Bahia a Dakar: enfrentar a crise com integração, desenvolvimento e soberania.



Essa inovação política terá o seu ponto alto com a realização do Diálogo e Controvérsias, encontro entre atores sociais e chefes de estado da América Latina e da África. Esse debate inédito, será realizado na tarde do próximo dia 30 deste mês, dará respostas à crise e construirá agendas comuns para o mundo pós-crise até o próximo Fórum unificado, em janeiro de 2011, no Senegal.



Quinze presidentes da América Latina e cinco da África foram convidados pelo Comitê Baiano e só estão à espera da confirmação do presidente Lula para garantir presença em Salvador. O Presidente Lula, que será homenageado no Fórum Econômico Mundial em Davos, Suíça, no dia 29, já reservou agenda para chegar diretamente no Fórum Social da Bahia, dia 30, permanecendo até o encerramento, no dia seguinte.



Dentro da programação oficial do FSMT-BA já está confirmada a mesa redonda internacional promovida pelos organizadores do Crise e Oportunidade e trará uma conferência com a escritora e presidente do Conselho de Administração do Transnational Institute (Amsterdam), Susan George, além da reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social.



O Fórum Social Mundial Temático da Bahia, que conta com o apoio dos governos Estadual e municipal, será realizado após o encontro da Grande Porto Alegre, que estará voltado para a comemoração dos dez anos do FSM e fará um balanço apontando as perspectivas do próprio Fórum. Em Salvador a expectativa é de festa e intensas atividades culturais, envolvendo centenas de milhares de pessoas do Brasil e do exterior, além dos cerca de 30 mil participantes do FSM mobilizados pelos movimentos sociais baianos.





Maiores informações:

Daniella Sinotti: 71 8855.7670

Rosely Arantes: 71 9277.3177/ 3115.6025/ 3115.6644

Bahia. Recôncavo: Investimento de 2 bilhões e 7 mil empregos.




Estaleiro na Bahia: R$ 2 bi em investimentos e 7 mil empregos

Audiência pública apresenta projeto que precede indústria naval no estado



As viagens a Brasília e a vários municípios do interior do estado, além da geração de emprego e renda, foram os temas abordados durante o programa de rádio Conversa com o Governador desta semana, produzido pela Assessoria Geral de Comunicação do Governo do Estado (Agecom).



Segundo o governador Jaques Wagner, a instalação de um estaleiro na região de São Roque do Paraguaçu representa um investimento de R$2 bilhões e vai gerar cerca de sete mil empregos ou mais. “Três empresas baianas se juntaram. É um consórcio grande, forte, poderoso. Eu estive semana passada também em Brasília com o ministro Carlos Minc, do Meio Ambiente, conversando sobre esse e outros temas, e eu espero que a gente consiga concluir tudo a tempo, de tal forma que a gente possa ver renascer aqui na Bahia a nossa indústria naval”.



Wagner disse ainda que foi a Brasília assinar, ao lado de outros governadores e do presidente Lula, os compromissos para a Copa do Mundo 2014. “Já estamos adiantados. Eu me orgulho em dizer, a Bahia é o primeiro estado que, já agora, quinta-feira (21), vai assinar o contrato. As obras, primeiro de demolição, começam no final de fevereiro. As obras de construção começam em junho. Então esse foi um momento também importante”, avaliou.



Visitando sete cidades do interior em uma semana apenas, o governador começou a agenda por Itapetinga, com o programa Saúde em Movimento, que está na quarta etapa, ajudando aos idosos e a outros também que estão no Topa e que têm alguma dificuldade de visão, fornecendo operação de catarata, óculos e outros tipos de cirurgia. “Confesso a minha emoção de ver pessoas de idade dizendo que estão recuperando praticamente toda a sua visão, porque só tinham 10% da capacidade visual em função de uma catarata”.



Ainda no sudoeste baiano a constatação de que foi construído o maior número de cisternas pelo Estado na cidade de Aracatu. “Inclusive, aconteceu uma coisa impressionante, pessoas que tinham ido embora para São Paulo exatamente pela dificuldade de água, agora estão retornando”. Na ocasião, Wagner autorizou a construção de mais cisternas no município. “O programa Água Para Todos continua a todo o vapor. Em Brumado inauguramos a Barragem de Cristalândia e já estamos nos preparando para a segunda etapa dessa barragem”.



O governador falou sobre a geração de emprego e renda. Segundo ele, foram 75 mil novos postos de trabalho de janeiro a novembro de 2009. “Para um ano de crise, um belíssimo número, de geração de novos empregos. E eu continuo preocupado com isso, atraindo novas indústrias em todos os ramos – turismo, serviço, comércio – e agora fazendo esse esforço para que realmente a nossa indústria naval possa se instalar ali em São Roque do Paraguaçu, ao lado do estaleiro que já existe da Petrobrás, possibilitando a geração de muito emprego, de muita qualificação profissional”. A audiência pública realizada nesta segunda (18), em Maragogipe, apresentou o estudo de impacto ambiental entregue pelo IBAMA e os detalhes do projeto.



O programa Conversa com o Governador é produzido pela Assessoria Geral de Comunicação Social do Governo da Bahia (Agecom) e disponibilizado na página http://www.comunicacao.ba.gov.br/conversa e no telefone gratuito 0800-071-7328, além de ser reproduzido pela rádio Educadora FM 107,5 Mhz e outros veículos de comunicação.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Educação para comunidade ribeirinha do Recôncavo da Bahia.

FOTO: Charles Carmo
Estaleiro: a educação é o foco.

O Governo da Bahia, através da Superintendência de Desenvolvimento Industrial e Comercial (Sudic) e da Secretaria Extraordinária da Indústria Naval e Portuária, em apoio ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) vai promover hoje (18/01), às 18h30, uma audiência pública para discutir o empreendimento Estaleiro Enseada do Paraguaçu, na Associação Atlética Maragojipana, no centro de Maragojipe.

Durante o evento, serão apresentados à população os resultados do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e do Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) para a execução do projeto. Aberta ao debate, a audiência visa também prestar esclarecimentos e recolher críticas e sugestões das comunidades a respeito do projeto apresentado.

Este empreendimento vai consumir recursos na ordem de 2 bilhões de reais. Há uma expectativa de que a obra gere 7,9 mil empregos no Recôncavo baiano. O Brasil nunca precisou tanto de navios e o pré-sal é uma realidade. Evidente que somos capazes de construir estes navios.


O Estaleiro Enseada do Paraguaçu pode ser um grande indutor do crescimento econômico da região. Entretanto, uma preocupação toma conta da comunidade local: o aproveitamento da mão de obra nativa.

Explicamos: Maragojipe é uma das cidades baianas com maior índice de analfabetismo. Difícil acreditar que o estaleiro absorva uma mão de obra com tão pouca escolaridade.

Este é um dos motivos pelos quais a UFRB é vital para o desenvolvimento da região. Somente a UFRB pode garantir a formação de trabalhadores da região. Este é um dos motivos pelos quais a federal do Recôncavo vem aumentando o número de cursos na área de engenharia. Sem mão de obra qualificada, dificilmente a região poderia absorver estes postos de trabalho, o que é de suma importância para assegurar que estes investimentos tragam reais benefícios à população.

De olho neste e em outros fatores é que o programa de alfabetização do Governo da Bahia, o TOPA, está presente em Maragojipe. A prefeitura de Maragojipe sabe que é preciso correr contra o tempo para assegurar a contratação de trabalhadores da histórica cidade.

Estaleiro é ótimo, mas sem educação, é apenas razoável.

Eis o desafio de nossos administradores, do povo do Recôncavo e da UFRB.

Por Charles Carmo

www.oreconcavo.com.br

I Miss Her: Olodum

Maria Rita e Quinteto em preto e branco: Num corpo só

Suspeita-se de depressão a causa mortis de Brittany





PUBLICIDADE

"Hollywood foi quem quebrou o coração de Brittany Murphy." Desta forma Simon Monjack, viúvo da atriz, descreveu em entrevista no programa Larry King, da rede CNN, o estado de espírito em que ela se encontrava ao ser encontrada morta no dia 20 de dezembro. A causa da morte de Brittany, que tinha apenas 32 anos, ainda está sendo investigada.


Monjack, que é roteirista de cinema, concedeu a entrevista ao lado de Sharon Murphy, mãe da atriz. Ambos foram os primeiros a socorrer Brittany na manhã em que ela veio a falecer. "Sharon e eu estávamos abraçados quando (os médicos) disseram que ela não tinha sobrevivido", disse Monjack. "Mas nós soubemos antes disso. Sentimos a vida dela indo embora", completou Sharon.


Os dois descreveram Brittany como uma mulher feliz, mas o fato é que a atriz já não vinha conseguindo papéis de destaque como no começo de carreira, quando participou de filmes como "Patricinhas de Beverly Hills" e "Recém-Casados." A mãe da atriz já havia dito que ela não tinha o costume "nem de beber", descartando, portanto, a possibilidade de que a filha tenha tido uma overdose.


"Você quer saber o que quebrou o coração de Brittany Murphy? Hollywood foi quem quebrou o coração de Brittany Murphy", disse Monjack.


A entrevista vai ao ar na CNN americana nesta quarta-feira.





Por Redação Yahoo! Brasil

Prefeita Lésbica dos Estados Unidos da América se casa.


A primeira lésbica e negra chefe de Poder Executivo de uma cidade dos Estados Unidos da América, Denise Simmons, anunciou que vai se casar neste fim de semana. A política é prefeita da cidade de Cambridge, em Massachusetts, primeiro estado do país a legaliza o matrimônio entre pessoas do mesmo sexo.

Denise vai se casar com sua companheira de anos, Mattie B. Hayes, em uma cerimônia religiosa. “Creio que seja a primeira vez que uma igreja afro-americana celebra o casamento de um casal do mesmo sexo. Era isso que esperávamos há muito tempo”, disse.

Céu e a sinfônica de Amsterdã.

Dispositivo promete conter aquecimento global.

Um novo dispositivo apresentado nesta quinta-feira (14) por cientistas pode um dia se tornar uma máquina para salvar o planeta do aquecimento global: ele tira o dióxido de carbono (CO2) do ar e o transforma em compostos de carbono que podem ser vendidos como matéria-prima à indústria.

Os pesquisadores holandeses autores da invenção, porém, afirmam que ainda não é possível aplicá-la em grande escala.

O que os cientistas fizeram foi criar uma estrutura que ajuda o CO2 do ar a se transformar em uma substância chamada oxalato de lítio. O mecanismo usa um composto do tipo que os cientistas chamam de catalisador, que serve para estimular e acelerar reações químicas.

Conseguir que uma placa feita de um material complexo à base de cobre fizesse isso não foi fácil. Estruturas com cobre expostas ao ar geralmente reagem com o oxigênio (O2), não com o gás carbônico (CO2).

Isso ocorre porque o oxigênio tem muito mais facilidade para participar de reações químicas. Ele é mais instável, se agrupa facilmente com outras moléculas. A estrutura criada pelos holandeses, entretanto, quebra a expectativa e reage com o CO2.

Mistério

Nem os cientistas entenderam direito como conseguiram a façanha. "Por que isso aconteceu, nós não entendemos", disse à Folha Elisabeth Bouwman, da Universidade Leiden, na Holanda, que publicou, com sua equipe, a descoberta na revista "Science".

Eles são especialistas em estruturas sintéticas úteis como catalisadoras em reações com carbono.

Eles ficaram especialmente animados por três motivos. Um deles é que a substância final em que o CO2 se transforma, o oxalato de lítio, é bastante estável. Isso significa que o carbono está bastante preso dentro dela --não vai voltar para a atmosfera tão cedo.

O segundo é que o oxalato de lítio pode servir como insumo na fabricação de produtos de limpeza doméstica ou de substâncias úteis para uso em componentes de refrigeradores.

O último é que o catalisador que criaram é "reciclável". Ou seja, ele pode ser utilizado de novo após oxalato de lítio ser removido dele. Isso torna o mecanismo mais viável.

Começo

O processo, porém, ainda está longe de sair dos laboratórios e ganhar escala. Dificilmente se tornaria viável rápido o suficiente para conter o aquecimento global nas próximas décadas. Segundo Bouwman, seu estudo "é só o começo".

Ainda assim, é um grande passo. Todos os mecanismos propostos até hoje para tirar CO2 da atmosfera e transformá-lo em outra substância gastavam uma quantidade proibitiva de energia. O mecanismo holandês, entretanto, é mais simples e, assim, tem um consumo elétrico pequeno.

Algumas substâncias usadas no processo, porém, ainda encareceriam um ganho em escala. Uma delas é o lítio. Por isso, diz Bouwman, o próximo passo é fazer pequenas modificações nas estruturas usadas.

O trabalho vai adiante em um constante processo de tentativa e erro. "Fazemos as modificações e observamos o que acontece: se o complexo fica mais reativo, se a reação vai mais rápido."





por Folha Online

Ratzinger, e o nazismo.


Ratzinger, o biólogo
Por Márcio Retamero* 14/1/2010 - 19:43


Em 1933, do alto do morro do Corcovado, aos pés da estátua do Redentor, o então Cardeal Eugenio Pacelli, Secretário de Estado do Vaticano, abençoou os católicos cariocas com os braços abertos, tentando, talvez, imitar a estátua. Tal gesto se tornaria sua “marca”, seis anos depois, quando Pacelli sucedeu o Papa Pio XI, tomando o nome de Pio XII.

Pacelli, uma espécie de “primeiro ministro” do Vaticano, exerceu seu mandato numa época sombria para o mundo. Foi ele que, em nome do Papa Pio XI negociou a Concordata do Reich com Adolf Hitler. Tal Concordata sepultou não somente o então poderoso Partido do Centro (católico), o único capaz de fazer frente à escalada do poder de Hitler, mas também toda e qualquer ação política da Igreja Católica na Alemanha na década de 30.

O historiador e vaticanista John Cornwell é o autor do livro mais esclarecedor sobre a diplomacia católica deste período. Foi ele que popularizou o “apelido” de Eugenio Pacelli – “O Papa de Hitler”, título de sua obra. Cornwell nos informa detalhadamente a atuação de Pacelli enquanto Secretário do Estado do Vaticano e suas implicações com o regime nazista. Abundante em provas, a obra esclarece o que por muito tempo ficou às sombras e no não-dito, melhor, no apenas sussurrado.

É inegável que à margem da “política oficial” do Vaticano, a atuação de muitos católicos leigos, sacerdotes e monges, inclusive, salvaram milhares de vidas judias da sede de sangue hebreu do Carrasco Alemão. Sabemos que mosteiros, paróquias, conventos e capelas foram usados como “cidades refúgio” pelos judeus. Cornwell não nega os fatos, mas esclarece a postura da cúpula do Vaticano.

Em 1927, nascia na região da Baviera, Alemanha, Joseph Ratzinger. Filho de católicos devotos, certamente recebeu desde a infância a catequese católica. Por conta da atuação daquele que seria Papa décadas antes dele, o acima referido Pacelli/Pio XII, Ratzinger não pode, quando um jovenzinho, atuar na Juventude Católica Alemã, pois essa, considerada como “associação política” pelo nazismo, foi encampada pelo regime. Assim sendo, em 1941, aos 16 anos, o jovem Ratzinger, como a maioria esmagadora dos jovens alemães de seu tempo, pertenceu à “Juventude Hitlerista”; não era opção. No mesmo ano, um primo seu, com síndrome de Down, foi assassinado pelos médicos “eugenistas” nazistas.

Dois anos depois, em 1943, o jovem Ratzinger, aos 16 anos, mais uma vez obrigado, foi recrutado pelo Exército Alemão, servindo ao Reich na Segunda Grande Guerra. Somente com o fim da guerra, em 1945, Ratzinger se vê livre dos tentáculos do regime nazista. Por que tais notas biográficas do Papa Bento XVI? Porque se entende melhor o Papa Bento, quando nos lembramos de sua trajetória de vida e assim é com todo ser humano, pois nenhum de nós passamos ao largo da História do nosso tempo.

John Cornwell, o historiador citado parágrafos acima, publicou em 2004 outra obra muito esclarecedora sobre a Igreja Católica: “A Face Oculta do Pontificado de João Paulo II”, Ed. Imago. No livro, também recheado de provas contundentes, João Paulo II sai bem diferente da imagem tão cirurgicamente construída por ele e pela mídia católica como um verdadeiro santo. O livro também nos apresenta um breve, todavia, contundente perfil do Cardeal Ratzinger, Prefeito para a Congregação da Doutrina da Fé durante o pontificado de João Paulo II. Ao lado do Cardeal Sodano, Ratzinger era o homem mais poderoso do Vaticano.

Cornwell nos revela em detalhes como o Cardeal Ratzinger matou o trabalho pastoral da Irmã Jeanine Gramick e Padre Nugent junto aos homossexuais na cidade de Baltimore, nos EUA. Nas palavras de Ratzinger, o trabalho pastoral de Nugent e Gramick estava eivado de “ambiguidades e erros; trazendo confusão entre os católicos e prejudicando a comunidade da Igreja”. Cornwell nos esclarece que o futuro Bento XVI chegou até eles através de um “sistema de delação”, incentivado por ele mesmo enquanto Prefeito da CDF nos casos de assistência pastoral a católicos homossexuais.

Agora Papa, Bento XVI continua, do alto do seu trono, tendo a mitra papal sobre a cabeça e o cajado de Sumo Pontífice na mão, trabalhando contra homossexuais, como demonstram suas equivocadas declarações quando o assunto é a homossexualidade. Na África, em visita pastoral, chegou a dizer que a camisinha não protegia ninguém da contaminação pelo vírus HIV.

Desta vez, “Bento XVI, o biólogo” declarou que “o casamento gay é um ataque à diferença entre homens e mulheres”. Assim que li a equivocada declaração, lembrei-me da adolescência e juventude de Ratzinger junto ao nazismo. Lembrei-me da eugenia e da experiência pessoal do atual Papa que perdeu seu primo com síndrome de Down porque era também considerado “anômalo”, “antinatural”, “defeituoso”.

Sabemos o quanto somos marcados nas fases da adolescência e juventude pelas experiências existenciais que temos. Algumas ideias, verdadeiras toxinas, drogas poderosas, permanecem em nós a vida inteira. Certamente que o Papa Bento XVI quando adolescente e jovem teve que ler e estudar todas aquelas ideias nazistas. Teve que professá-las e mais que isso, viveu, viu, ouviu... Nenhum ser humano passa incólume por uma experiência dessas!

Contudo, por ser Bento XVI quem ele é, ou seja, o “Vigário de Cristo na Terra”; por ter estudado anos e anos e chegar a ser um influente teólogo católico, até mesmo considerado progressista na década de 60; por ser, enfim, um “cristão”, o que me causa pavor, é saber que este homem, aos 82 anos de idade, depois de tantas horas lendo a Bíblia Sagrada, celebrando missas, aconselhando, orando, visitando pessoas necessitadas de conforto espiritual; quando abre a boca para falar sobre a homossexualidade e sobre seres humanos homossexuais, fala como um biólogo do regime político sob o qual ele viveu, nas primeiras décadas do século passado, na Alemanha!

Bento XVI precisa desintoxicar-se!

* Márcio Retamero, 35 anos, é teólogo e historiador, mestre em História Moderna pela UFF/Niterói, RJ. É pastor da Comunidade Betel do Rio de Janeiro - uma Igreja Protestante Reformada e Inclusiva -, desde o ano de 2006. É, também, militante pela inclusão LGBT na Igreja Cristã e pelos Direitos Humanos. Conferencista sobre Teologia, Reforma Protestante, Inquisição, Igreja Inclusiva e Homofobia Cristã. Seu e-mail é: revretamero@betelrj.com.


Fonte: www.acapa.com.br



Márcia Short: Iluminada

Homofobia no BBB diversidade.


Governo está preocupado com homofobia no BBB; Sérgio é novo líder
Por Redação 15/1/2010 - 13:02




Anuncie

Responsável pelo acompanhamento da programação televisiva, o Ministério da Justiça revelou estar preocupado com a homofobia que pode surgir a partir do Big Brother Brasil 10. Isso se dá, pois, a edição que atual do reality show tem três participantes assumidamente gays: Sergio, Angélica e Dicesar (Dimmy Kieer).

O Ministério disse que está atento para a forma como a Globo irá editar os programas e retratar os participantes homossexuais. O alerta surgiu quando, na primeira festa da casa, ao tocar a música "I Will survive", Marcelo Dourado fez um comentário que soou homofóbico.

O brother disse a Michel que a música em questão "é o hino deles. Melhor não ficar perto. Senão seremos abduzidos". Mas a polêmica da vez foi mesmo a sua tatuagem de suástica. Questionado por Elenita se sabia do que o símbolo se tratava, o brother se defendeu dizendo que para ele a suástica era um símbolo "budista". "Eu não sou neonazista, não tem nada a ver. Tem a ver com a filosofia. Eu gosto muito de Nietzsche", disse o lutador.

O BBB tem classificação etária para 14 anos.

Sergio é o novo líder
Na quinta-feira (14/01) os confinados foram acometidos por uma surpresa: teriam que fazer nova prova para escolher novo líder. Com isso Josi perdeu o posto e também a imunidade, assim como o grupo dos Belos, vencedores da última prova.

A nova prova foi uma espécie de mata-mata. Um painel com duas fotos de cada participante estava colocado no jardim. Os concorrente teriam que pichar cada foto e, o participante com duas fotos pichadas estaria eliminado.

Um certo clima de tensão e provocação pairou durante a prova entre alguns participantes. Sérgio foi o vencedor da prova, tornou-se o novo líder e a tribo dos coloridos está imune

Fonte: www.acapa.com.br

Acompanhem o Governador Wagner de 18 a 23 de janeiro.

18/01 - Segunda - 14h - Itanagra

Inauguração SAMU 192




18/01 - Segunda - 16h – Alagoinhas

Autorização para inicio das obras de duplicação da pista de acesso à cidade

Autorização para elaboração de convênio – CERB

Celebração do convênio de concessão de 2.274metros de tubulação

Inauguração do Centro Regional de Referência em Saúde do Trabalhador




19/01 – Terça - 14h – CAB - Salvador

Secretaria de Educação – Encontro com gestores




20/01 - Quarta - 11h – Caldeirão Grande

Ordem de serviço Programa Saúde da Família




20/01 - Quarta - 14h - Miguel Calmon – Povoado de Tapiranga

Inauguração Sistema Simplificado de Abastecimento de Água (SSAA)

Lançamento de Obra – Matadouro




21/01 - Quinta - 9h – Estádio de Pituaçu – Salvador

Assinatura de contrato com o consórcio responsável pela construção do novo estádio para a Copa do Mundo de Futebol de 2014




21/01 - Quinta – 11h30– Macajuba

Inauguração de rodovia




21/01 - Quinta – 14h30 – Ruy Barbosa

Inauguração de restauração e pavimentação da BA130, entroncamento BR242

Anúncio limpeza aguadas de uso público




22/01 – Sexta - 9h – Palmeiras

Inauguração Sistema de Esgotamento Sanitário

Entrega da ampliação do Sistema de Abastecimento de Água (SAA)




22/01 – Sexta - 11h – Rio de Contas

Inauguração do Sistema de Esgotamento Sanitário




23/01 – Sábado - 9h – Cícero Dantas

Ordem de serviço da Rodovia

Inauguração Sistema de Abastecimento de Água

Inauguração da reforma do estádio municipal

Entrega de cisternas

Convênio a celebrar construção de 60 cisternas

Reforma na Escola Estadual Governador Antônio Carlos Magalhães

Assistência Técnica a 850 agricultores




23/01 – Sábado - 11h – Fátima

Inauguração da loja Cesta do Povo

Ampliação da produção de Fátima, Paripiranga e Adustina

CDC
Fonte: AGECOM/BAHIA

Wagner visita Itanagra e Alagoinhas

Wagner visita Itanagra e Alagoinhas nesta segunda
Governador entrega obras e serviços à população



O governador Jaques Wagner começa a semana com o pé na estrada para entrega de obras e serviços no interior do estado. Na segunda-feira(18), Wagner visita as cidades de Itanagra e Alagoinhas, que ficam no território de identidade Agreste de Alagoinhas/Litoral Norte.



Em Itanagra, a partir das 14 horas, o governador entrega uma ambulância de suporte básico do Serviço Móvel de Urgência (Samu-192). A unidade móvel é equipada com suporte de soro, rede de oxigênio, aspirador, tensiômetro, glicosímetro, maleta de parto, pranchas curta e longa, talas para imobilização, colar cervical, colete imobilizador, bandagem e medicações. A equipe é formada por um técnico em enfermagem e um condutor. O município de Itanagra integra a Central Regional do Samu em Camaçari.


Já em Alagoinhas, por volta das 16 horas, Wagner inaugura o Centro Regional de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) e assina autorizações para duplicação da pista de acesso à cidade e cessão de tubulação para implantação de sistema de abastecimento de água na zona rural. A cidade também está sendo beneficiada com a implantação do Programa de Internação Domiciliar, que funcionará no Hospital Dantas Bião, além de novos aparelhos de raios X e ultrassonografia à unidade hospitalar.





ITANAGRA: com extensão territorial de 452 quilômetros quadrados, sua população está estimada em 6.841 habitantes. A cidade foi emancipada em 1962 e atualmente a prefeitura é comandada por Percídio dos Santos. A produção de eucalipto e a criação de bovinos são as principais atividades econômicas do município.



ALAGOINHAS: Com uma população estimada de 137.202 habitantes e extensão territorial de 734 km², tem como principais atividades econômicas a agricultura temporária (mandioca) e permanente (laranja), além da pecuária (aves).




INFORMAÇÕES ADICIONAIS:

CEREST: tem como objetivo melhorar a atenção à saúde dos trabalhadores e a vigilância dos ambientes e processos de trabalho, evitando assim acidentes e doenças ocupacionais nos 33 municípios de sua área de abrangência. No Centro serão desenvolvidas ações de assistência em Saúde do Trabalhador, diagnóstico e manejo de doenças ocupacionais, organização da rede de atenção em sua área de atuação, vigilância de ambientes e processos de trabalho, ações de educação em Saúde do Trabalhador, prevenção de acidentes e doenças do trabalho, entre outras. Trabalhadores em qualquer tipo de ocupação serão atendidos: formais, informais, funcionários públicos, trabalhadores urbanos, rurais, desempregados com suspeita ou doença ocupacional.

INTERNAÇÃO DOMICILIAR: disponibiliza para a população ações de saúde prestadas no domicílio e já começa a funcionar a partir da próxima segunda-feira (18). Pioneiro no país, o serviço é destinado ao paciente cujo quadro clínico exija cuidados e tecnologias acima dos oferecidos pela modalidade ambulatorial, mas que possam ser mantidos em casa, por equipe de saúde específica para este fim. Os objetivos são evitar a hospitalização, reduzir taxas de re-internações, minimizar riscos de infecção hospitalar e humanizar o atendimento realizado por equipe interdisciplinar na residência. Lançada em outubro de 2008, a iniciativa já foi implantada em 11 hospitais, nos municípios de Salvador, Lauro de Freitas, Barreiras, Jequié, Vitória da Conquista, Ilhéus e Juazeiro.

BENEFICIADOS: preferencialmente maiores de 60 anos, portadores de doenças crônico-degenerativas agudas; de patologias que necessitem de cuidados paliativos e portadores de incapacidade funcional, provisória ou permanente, com exceção daqueles que precisem de ventilação mecânica, de enfermagem intensiva, que não tenham cuidador contínuo identificado, em uso de medicação complexa com efeitos colaterais potencialmente graves ou de difícil administração.

Fonte: AGECOM/BAHIA

sábado, 16 de janeiro de 2010

Morre herdeira lésbica da Johnson & Johnson e noiva de Tila Tequila


Casey Johnson, de 30 anos, morreu em Los Angeles no dia 4 de janeiro.
Herdeira da grande Johnson & Johnson, lésbica assumida e noiva de Tila Tequila, Casey Johnson foi declarada morta por paramédicos que atenderam um chamado em sua casa, em Los Angeles.

Casey possuia diabetes e teria morrido por causas naturais, mas um relatório final de toxicologia será divulgado em breve.

Tila Tequila postou em seu twitter a perda de Johnson: “Descanse em paz meu anjo. Você estará para sempre em meu coração. Eu te amo tanto e nós nos casaremos quando eu te encontrar no céu, minha ‘esposinha’”.

A herdadeira da Johnson também deixou uma filha pequena, a Ava.

Yusa e Lenine: ROSEBUD

Juliana Ribeiro e Lenine no Senzala em Salvador.



O Ilê Aiyê vai escolher na noite deste sábado, 16, a Deusa do Ébano na 31ª Noite da Beleza Negra, que acontece na Senzala do Barro Preto, sede do Ilê Aiyê, no Curuzu, a partir das 21h, com ingressos a R$ 30 (pista), R$ 50 (camarote) e R$ 70 (camarote vip). A noite contará com show do cantor Lenine.

Além do show do cantor e compositor pernambucano, a Noite da Beleza Negra vai contar com apresentações da sambista baiana Juliana Ribeiro e da Band'Aiyê, que vai apostar em um repertório com as mais famosas músicas do bloco afro além das canções que foram escolhidas em concurso para o desfile no Carnaval.

Concurso - Das 50 inscritas no concurso para a eleição da Deusa do Ébano, 15 foram selecionadas. Todas elas vão levar para casa prêmios, dinheiro e fantasias do bloco para desfilar durante o Carnaval. A eleita, além dos prêmios, vai representar o Ilê Aiyê nos diversos eventos que acontecem durante o ano.

No Carnaval, a Deusa do Ébano vai desfilar em um carro especial do Ilê Aiyê como a rainha da “pérola negra do Curuzu”. A temática do bloco neste ano será em homenagem às principais manifestações culturais, motivo pelo qual o compositor pernambucano Lenine foi chamado para participar da festa neste sábado.

Serviço

Evento: 31ª Noite da Beleza Negra do Ilê Aiyê (Deusa do Ébano), com Lenine, Juliana Ribeiro e Band’Aiyê
Quando: Sábado, 16, 21h
Onde: Centro Cultural Senzala do Barro Preto – Rua do Curuzu, Liberdade
Quanto: R$ 30 (pista), R$ 50 (camarote) e R$ 70 (camarote)
Informações: 2103-3400

Beira de mar, beira de maré: Juliana Ribeiro.

Politica e Mulheres se misturam e dão bom resultados...




sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Grupos baianos se juntam para ajudar o Haiti. E declaração do Consul

Declaração do Consul do Haiti no Brasil.

14 de janeiro de 2010

Foto: Reuters
Homem carrega corpo de familiar pela rua de Porto Príncipe

Sem saber que estava sendo gravado pela reportagem do SBT Brasil, o cônsul do Haiti no Brasil, George Samuel Antoine, afirmou ao que a tragédia causada pelo terremoto que atingiu o Haiti está sendo boa, pois traz visibilidade ao consulado. "Desgraça de lá está sendo uma boa para a gente aqui, fica conhecido", disse.

O cônsul, que tem cerca de 100 parentes no Haiti e ainda está sem notícias deles, criticou a religião africana. "Acho que de, tanto mexer com macumba, não sei o que é aquilo... O africano em si tem maldição. Todo lugar que tem africano lá tá f...", afirmou.

Terremoto
Um terremoto de magnitude 7 na escala Richter atingiu o Haiti nessa terça-feira, às 16h53 no horário local (19h53 em Brasília). Com epicentro a 15 km da capital, Porto Príncipe, segundo o Serviço Geológico Norte-Americano, o terremoto é considerado pelo órgão o mais forte a atingir o país nos últimos 200 anos.

Dezenas de prédios da capital caíram e deixaram moradores sob escombros. Importantes edificações foram atingidas, como prédios das Nações Unidas e do governo do país. O presidente haitiano, René Préval, afirmou que pelo menos 7 mil pessoas mortas no terremoto já foram enterradas em uma vala comum. O Haiti é o país mais pobre do continente americano.


Morte de brasileiros
A fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança, Organismo de Ação Social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Zilda Arns, e militares brasileiros da missão de paz da ONU morreram durante o terremoto no Haiti.

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, e comandantes do Exército chegaram na noite de quarta-feira à base brasileira no país para liderar os trabalhos do contingente militar brasileiro no Haiti. O Ministério das Relações Exteriores do Brasil anunciou que o país enviará até US$ 15 milhões para ajudar a reconstruir o país. Além dos recursos financeiros, o Brasil doará 28 t de alimentos e água para a população do país. A Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou oito aeronaves de transporte para ajudar as vítimas.

O Brasil no Haiti
O Brasil chefia a missão de paz da ONU no país (Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti, ou Minustah, na sigla em francês), que conta com cerca de 7 mil integrantes. Segundo o Ministério da Defesa, 1.266 militares brasileiros servem na força. Ao todo, são 1.310 brasileiros no Haiti.

A missão de paz foi criada em 2004, depois que o então presidente Jean-Bertrand Aristide foi deposto durante uma rebelião. Além do prédio da ONU, o prédio da Embaixada Brasileira em Porto Príncipe também ficou danificado, mas segundo o governo, não há vítimas entre os funcionários brasileiros.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Blogs mudam contexto eleitorais na midia.

Código Aberto


Protagonismo dos blogs muda contexto da campanha eleitoral na mídia
Postado por Carlos Castilho em 11/1/2010 às 13:39:01



A polêmica sobre o 3º Programa de Defesa dos Direitos Humanos mostra que um novo processo político está ganhando corpo na sociedade brasileira diante das debilidades, indefinições e descrédito que afetam algumas instituições do Estado brasileiro.



O debate está passando ao largo de instituições como o Congresso nacional cujo descrédito abriu espaço político para a participação de novos atores como os weblogs, twitters e fóruns de discussão pela internet.



A discussão virtual está ganhando mais relevância diante do aumento do número de leitores de jornais que passam a ver a imprensa não como um facilitador ou mediador do debate, mas como parte interessada.



A opinião pública demonstra nítidos sinais de orfandade em matéria de espaços políticos convencionais, porque os partidos políticos foram transformados em agências de empregos públicos distribuídos por critérios eleitorais.



O debate sobre o Programa de Defesa dos Direitos Humanos é apenas a ponta de um iceberg que começa a ganhar corpo e cuja face visível é uma radicalização crescente dos segmentos mais conservadores, ao constatar que as instituições formais já não funcionam mais como escudo protetor de suas propostas.



O mundo da blogosfera mostra outra face. Nela os desiludidos da mídia convencional criam o seu próprio canal de publicação de idéias numa inédita convivência, nem sempre pacífica, com os blogs conservadores.



A polêmica, que pode ser acompanhada por meio de simples buscas sobre os principais temas em debate no Google ou no Twitter, mostra o surgimento da internet como um novo ambiente político onde os participantes são ao mesmo tempo atores e público. É esta dupla funcionalidade que gera tanta participação, como pode ser visto até aqui no Observatório, nos comentários postados por leitores.



O debate sobre o ato falho de Boris Casoy, por exemplo, foi muito mais intenso na blogosfera do que na mídia convencional. É claro que a imprensa se deixou levar pelo corporativismo para minimizar o episódio, mas por outro lado, o patrulhamento blogueiro foi implacável com o infeliz comentário do apresentador do telejornal da Band.



Esta tendência à polarização deve ganhar novo combustível na medida em que a campanha eleitoral ganhar mais intensidade. Tudo indica que teremos dois espaços para o debate político:



1) O convencional, onde os segmentos mais conservadores devem predominar, porque é o que lhes resulta mais familiar e influenciável;

2) A Web é o outro espaço para interatividade política, onde é nítida uma maior movimentação dos setores mais liberais, e principalmente dos mais jovens.





Esta segmentação de espaços políticos é inédita em nossa história eleitoral já que pela primeira vez setores que nunca tiveram acesso direto à mídia tem agora a sua disposição uma plataforma barata para publicar idéias e propostas.



É possível prever que a grande batalha por corações e mentes nas próximas eleições presidenciais será travada na internet porque também os políticos convencionais pretendem usá-la em beneficio próprio.



Mas ela terá características bem diferentes das ocorridas na mídia tradicional em pleitos anteriores. O grande diferencial é a impossibilidade de monitorá-la, dado o seu caráter descentralizado e horizontal. Assim fica difícil dizer que tal candidato ou tal partido tem maioria das preferências na Web porque será impossível medir tendências como acontece com as pesquisas de opinião, tipo IBOPE ou DataFolha.



A fragmentação e dispersão dos atores políticos na Web, em especial na blogosfera, é uma porta aberta à radicalização, o que é um fator preocupante embora quase inevitável. Faz parte da alfabetização política na Web, assim como aconteceu no passado com os comentários agressivos e xenófobos em weblogs.



O importante é verificar que as regras do jogo político na Web não são as mesmas que vigoram no debate via jornais, rádios e televisão. Nestes, o público é um espectador, enquanto na Web, mesmo sendo ela privilégio de uma minoria de brasileiros, o cidadão comum é um protagonista, em termos de mídia. Isto faz muita diferença.

fonte: http://www.observatoriodaimprensa.com.br





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...